Militar do Exército atropela duas irmãs; uma delas está em estado grave

Uma jovem de 15 anos sofreu traumatismo craniano grave e precisou ser transportada pela aeronave do Corpo de Bombeiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/05/2017 09:33 / atualizado em 19/05/2017 16:28

PRF/Divulgação
 
Um militar do Exército Brasileiro de 21 anos atropelou duas irmãs, de 15 e de 13 anos, na BR-020, próximo ao viaduto do Colorado, sentido Plano Piloto. O acidente aconteceu por volta das 6h30, quando César Pinheiro dos Santos, conduzindo um Fiesta preto, atingiu as garotas. Uma das adolescentes está em estado grave.  
 
 
A jovem de 13 anos foi atendida e transportada consciente pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital de Base do DF, com suspeita de fratura em uma das pernas. Já a irmã dela, de 15 anos, precisou ser levada à unidade médica pela aeronave do Corpo de Bombeiros. Ela apresentou traumatismo craniano grave, foi intubada ainda no local e seguiu inconsciente e instável.  
 
PRF/Divulgação
 
 
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor realizou o teste do bafômetro e não apresentou presença de álcool. O trânsito ficou interditado e permaneceu aos cuidados da corporação. 
 
Uma amiga, de 15 anos, que estava com as duas irmãs, contou que elas estavam no acostamento quando foram atingidas. "Eu fiquei sem saber o que fazer. Eu só comecei a gritar", contou, ainda nervosa. Segundo ela, o motorista parou e se desculpou, dizendo que um outro carro ia bater nele e, por isso, teve que desviar da pista.
 
"Não tinha como porque os carros estavam praticamente todos parados e não tinha como acontecer acidente ali", relata a jovem. Ela acredita que o condutor quisesse escapar do engarrafamento pelo acostamento.  
 
A mãe das vítimas, Analin Carvalho, disse que foi o vizinho que a avisou sobre o acidente. Como muitos estudantes da região fazem aquele mesmo percurso, ele teria visto e correu para avisar os parentes. "Eu estava deitada e saí correndo para lá. Quando cheguei, minha filha ainda estava lá." 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.