Pacientes enfrentam longas filas em Farmácia de Alto Custo

A espera para conseguir medicamentos ultrapassa quatro horas, inclusive para idosos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/06/2017 12:30 / atualizado em 12/06/2017 13:23

 

Pacientes e familiares que usam os serviços da Farmácia de Alto Custo na 102 Sul reclamaram da demora no atendimento nesta segunda-feira (12/6), que ultrapassava as quatro horas. Um vídeo feito por uma das pessoas que esperava mostra dezenas de pessoas em pé ou sentadas em bancos improvisados. 


De acordo com clientes, até a fila para pegar a senha é imensa. "Todo mês é isso. Não há bancos suficientes, e os pacientes ficam horas assim até conseguir entrar na farmácia e pegar a senha", disse ao Correio a mãe de um paciente que preferiu não se identificar. Ela contou que enfrenta todo mês as longas filas para conseguir dois medicamentos essenciais para que o filho não rejeite o rim que recebeu em um transplante no início do ano passado.

 

“A maioria das pessoas que vem buscar os remédios é de pessoas doentes. É um descaso. As pessoas se sentam no chão porque não têm lugar para se acomodar. Hoje, havia mais de 50 idosos em pé ou sentados à beira do jardim”, completou.

 

Outro problema constante nas duas farmácias de alto custo — além da unidade da Asa Sul, há uma em Ceilândia — é a falta de medicamentos. Dados da Secretaria de Saúde, colhidos a pedido do Correio, revelou que 53 remédios estão em falta atualmente no DF. Ao todo, 200 rótulos deveriam ser disponibilizados. Os insumos que estão com estoque zerado são para psoríase, doença de Crohn e dor crônica (que pode ser causada, por exemplo, no tratamento de câncer). 

 

Secretaria toma providências

 

Em nota, a Secretaria de Saúde reconhece que as longas filas são um problema e informou que trabalha para diminuir o tempo de atendimento. De acordo com a pasta, apenas na unidade da estação da 102 Sul, são realizados, em média, 500 atendimentos por dia. “Também há previsão de inauguração de uma nova unidade da farmácia no Gama até setembro. E existe um estudo para abertura de outra farmácia em Sobradinho”, informa a nota.

 

Outra medida para facilitar o fluxo de atendimento é o prolongamento da validade dos cadastros. A Secretaria de Saúde negocia com o Ministério da Saúde um tempo maior para a renovação. Os gestores do DF querem que a revalidação seja feita a cada seis meses. Se os técnicos do governo federal aceitarem, será uma medida inédita no Brasil.

 

Serviço

Farmácias de alto custo

Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas

 

Asa Sul

Estação 102 Sul do metrô

(61) 3322-9498

 

Ceilândia

Praça do Cidadão (EQNM 18/20, Blocos A e C)

(61) 3581-3672 

 
Edílson Rodrigues/CB/D.A Press
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
maria
maria - 13 de Junho às 09:24
O medicamento que pego está em falta e seria ótimo se os telefones funcionassem, mas estão cortados a meses, facilitaria em muito se funcionassem, evitaria idas perdidas; eu por exemplo, moro em Brazlândia. Cheguei a enviar um e-mail para o endereço: geceaf@saude.df.gov.br, mas também não obtive respostas. Entendo que não há "mão de obra" suficiente para atender telefones e responder e-mail's, mas a tecnologia existe para facilitar e agilizar a vida das pessoas. Está faltando empreendimento da Secretaria de Saúde nesse sentido.
 
ABILIO
ABILIO - 12 de Junho às 17:03
Se Rollemberg quiser questionar, eu entrego a fita a justiça onde o vice-governador fala que ele, Rollemberg, iria ganhar um dinheirinho por fora para entregar o sistema de saúde as organizações sociais como assim??? nao entregou a fita ainda.