PMs que dispararam tiros contra manifestantes em protesto são afastados

Segundo a corporação, eles passaram por avaliação psicológica e exercerão funções administrativas até o fim do inquérito

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/06/2017 00:27 / atualizado em 13/06/2017 00:33

Os dois policiais investigados por dispararem tiros em um protesto na Esplanada dos Ministérios, em 24 de maio, foram afastados das ruas pela Polícia Militar do Distrito Federal. "Os policias já passaram pela avaliação psicológica, o processo está em andamento e eles estão em funções administrativas", informou a corporação, na noite desta segunda-feira (12/6).


O prazo para conclusão do inquérito é de 40 dias e pode ser prorrogado por mais 20. 

Leia mais notícias em Cidades

Imagens divulgadas no dia do protesto contra o presidente Michel Temer e as reformas trabalhistas e da Previdência mostram o momento em que dois militares efetuam disparos contra manifestantes.

O primeiro policial corre em direção aos manifestantes atirando para cima. Em seguida, outro PM aponta a arma na mesma direção e dispara vários tiros. 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 35 mil pessoas participaram do protesto. Ao todo, 49 pessoas, entre policiais e manifestantes, ficaram feridas
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Wilson
Wilson - 13 de Junho às 09:33
Do outro lado todo mundo soltinho e impune, com toda a quebradeira que fizeram.
 
JOEL
JOEL - 13 de Junho às 08:51
Nada mais surpreende no Brasil. Policiais que se defendiam de potenciais assassinos são afastados por exercerem legítima defesa própria! O que mais é preciso além dos vídeos, fotos e testemunhos para que a imprensa pare de chamar aquele grupo de malfeitores, de "manifestantes", como se fossem bons cidadãos pacíficos?