Polícia prende dupla suspeita de cometer latrocínio em Brazlândia

Os dois homens foram presos enquanto ateavam fogo no carro roubado durante a ação na última quarta-feira (14/6)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/06/2017 11:40 / atualizado em 17/06/2017 12:15

PMDF/ divulgação

A Polícia Militar prendeu dois homens suspeitos de roubar e matar um chacareiro em Brazlândia, na última quarta-feira (14/6). A prisão da dupla ocorreu por volta das 13h dessa sexta-feira (16/6), após os dois serem flagrados por militares do Batalhão Rural ateando fogo em um carro Gol Volkswagen, em Padre Bernardo (GO). A equipe desconfiou que o veículo poderia ter sido o roubado da vítima, Noeto Angélico de Jesus, 48 anos. Ele foi morto com dois tiros de arma de fogo nas costas.


O latrocínio foi registrado por volta das 19h30 da última quarta-feira, em um assentamento rural, próximo à DF-445, na região do Incra 7. Segundo a ocorrência, três homens armados invadiram a casa de um chacareiro e exigiram ele lhes entregasse dinheiro e armas. Os assaltantes levaram alguns objetos da casa e tentaram levar o veículo que estava estacionado no quintal, porém o carro estaria danificado. O sobrevivente contou que levou coronhadas nas costas nessa hora.

No momento em que os bandidos saíam da chácara, observaram a chegada de um carro que vinha do lote vizinho. Noeto Angélico de Jesus, que conduzia o veículo, recebeu ordem dos bandidos para deitar no chão. No entanto, o homem tentou correr e foi atingido com dois disparos nas costas. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Depois disso, os bandidos fugiram com o carro da vítima.

Os dois homens presos foram localizados enquanto ateavam fogo no carro em um lote na região de Vendinha, em Padre Bernardo (GO). Adonias Alves Machado, 31, e Jailson Ferreira dos Santos, 22, foram reconhecidos pela vítima que sobreviveu. Os dois estão presos na 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia). A Polícia Civil ainda procura pelo terceiro envolvido no crime. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.