'Campuseiros' narram como é ficar 24h por dia ligado na Campus Party

Além dos visitantes regulares, quase 3 mil participantes estão acampados no Centro de Convenções desde quarta-feira. As atividades gratuitas encerram às 19h

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/06/2017 16:23 / atualizado em 17/06/2017 19:56

 
Brasília viveu, neste sábado (17/6), o último dia de atividades na Campus Party, um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do mundo. O número de participantes é surpreendente: 69 mil pessoas passaram por lá desde a última quarta-feira (14/6), quando a feira desembarcou pela primeira vez na capital federal. "Superou, e muito, as nossas expectativas. Esperávamos 40 mil pessoas e tivemos mais de 60 mil”, comemora Francesco Farruggia, presidente do Instituto Campus Party, que organiza o evento. 
 
 
São quase 3 mil barracas espalhadas pelo Centro de Convenções Ulysses Guimarães, onde ocorrem as atividades. Ou seja, mais de 3 mil pessoas acampadas no evento desde quarta-feira. Chamados de “campuseiros”, em sua maioria, jovens estudantes, aproveitaram todos os detalhes da feira. É o caso dos irmãos Bruno e Thiago Veras, de 18 e 19 anos, respectivamente. Eles já haviam ido a uma edição da Campus Party em São Paulo e não perderam a oportunidade de participar do evento na cidade natal. Mesmo morando em Brasília, ambos quiseram viver a experiência completa: acamparam e dormiram todos os dias nas barracas colocadas no Centro de Convenções.
 
"Tem gente que passa o dia nas palestras, estandes, workshops, competições e depois dorme à noite para acordar cedo no dia seguinte e fazer tudo de novo. Mas tem gente que dorme o dia inteiro para ficar jogando com os participantes durante a madrugada", conta Bruno, que gosta bastante da área de marketing e deseja ingressar no curso de publicidade. Para o jovem, faltou muito para a edição de Brasília chegar ao nível do evento em São Paulo. Ele coloca a quantidade de patrocinadores como um dos principais motivos. "Em São Paulo, tem muito mais patrocinador, muito mais estande, muito mais entretenimento. Eram empresas gigantes que patrocinavam e davam recursos. Mas, para a primeira vez, Brasília foi bem", avalia.
 
O irmão mais velho, estudante de ciência da computação na UnB, elegeu a área de internet como o ponto forte do evento. Thiago tem até um time para participar de campeonatos de videogame com amigos, chamado Instakill. "Brasília ainda pode melhorar bastante para as próximas edições, mas estou aproveitando muito", ressalta. Para ele, um dos grandes problemas foi a falta de água – que acabou por um tempo no Centro de Convenções.
 
Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press
 
 
Outro estudante acampado no evento desde o primeiro dia é João Pedro Marques, 21 anos. Atualmente, ele estuda administração na UnB, mas, antes, cursava engenharia de software. O interesse antigo por softwares e inovações tecnológicas se mantém até hoje, por isso, participou das últimas duas edições que ocorreram em São Paulo. "A Campus Party de Brasília está muito melhor do que eu esperava, não vi nenhum problema", comenta.
 
Os portões para quem quiser participar da área gratuita do evento — onde há simuladores, torneio de drones, exposições de robôs, foodtrucks e outras atividades — estarão abertos até às 18h, com circulação permitida até às 19h. Para os campuseiros, a Campus Party se estende até amanhã, quando terão até o meio-dia para fazer as malas e liberar as barracas.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Robson
Robson - 17 de Junho às 19:57
Com d...e álcool até eu fico...