Polícia Civil realiza operação contra grilagem de terra no Distrito Federal

Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão e três pessoas foram conduzidas coercitivamente à delegacia. Trata-se de investigação para combater associação criminosa que visava parcelamento irregular de solo, numa área de 20 mil metros quadrados.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 10:13 / atualizado em 11/07/2017 11:27

PCDF/Divulgação

 

A Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema) deflagrou, na manhã desta terça-feira (11/7), a Operação Ponte Alta III, realizada na DF-475, no Gama. A ação visa combater uma associação criminosa que realizava grilagem de terras. Os lotes estão sendo ofertados com o preço variado de R$ 50 mil. O lucro do grupo criminoso com a venda de tais lotes poderia chegar a quase R$ 400 mil. 

 

Leia mais notícias em Cidades 

 

Ao todo, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão em residências situadas em um loteamento irregular, no Km 4 da via. Duas pessoas foram conduzidas coercitivamente à delegacia. A área do crime está dividida em sete lotes residências de 200m², sendo que o parcelador reside em uma chácara de 20 mil m².  

 

PCDF/Divulgação
 

 

Até a publicação desta matéria, foram apreendidos cessões de direitos, mapas, contratos de compra e venda de imóveis, procurações, escrituras de imóveis, computadores, pen drives, celulares, tablets relacionadas aos fatos apurados, etc. Todos os documentos serão analisados pela equipe de investigadores da Dema/PCDF.

 

Durante a ação, foi encontrada uma espingarda, calibre 22, com 46 munições, sem registro. Um dos suspeitos foi autuado em flagrante por posse irregular de arma de fogo de uso permitido. Foi arbitrada fiança no valor de R$ 950.

 

 

 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Raimundo
Raimundo - 11 de Julho às 23:41
Que piada. vao derrubar o lago sul?
 
jose
jose - 11 de Julho às 20:47
CADÊ O PLANO DE SAÚDE DOS POLICIAIS CIVIS? CADÊ A GEAP?