Biometria facial aponta uso irregular de 2 mil cartões de Passe Livre

Em fase de testes, irregularidades foram constatadas em ônibus da linha 110

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 13:37 / atualizado em 11/07/2017 18:59

Pedro Ventura/Agência Brasília

 
Nas primeiras semanas de experiência, a biometria facial apontou o uso irregular de 2 mil cartões de Passe Livre Estudantil. O projeto está em fase de teste em 10 ônibus da linha 110 da empresa Piracicabana, que faz o trajeto Rodoviária-Universidade de Brasília (UnB). 


Segundo o GDF, a quantidade representa mais de 11% dos 17.574 usuários que passaram o cartão nesses veículos no período do teste. Até agora, 1,3 mil titulares de cartões foram notificados e estão com o benefício suspenso. O bloqueio ocorre 10 dias após a notificação.

“Esses cartões serão bloqueados, conforme a lei, por seis meses. A pessoa terá de comparecer ao DFTrans (Transporte Urbano do Distrito Federal) para se explicar, será aberto um processo administrativo e, na Polícia Civil, um outro processo quanto à utilização (irregular) desses cartões”, aponta o secretário de Mobilidade, Fábio Damasceno.

A biometria facial entrou em fase de teste em maio deste ano. A Secretaria de Mobilidade alega que novos equipamentos estão sendo encomendados para serem instalados gradativamente na frota de ônibus do DF. As câmeras são fixadas acima dos validadores onde os usuários passam o cartão.

Com informações da Agência Brasília 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.