GDF amplia prazo para cadastro de venda direta em Vicente Pires

Até agora, 50% dos 4,1 mil moradores se registraram. Preços dos imóveis serão divulgados após o fim do prazo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/08/2017 06:00 / atualizado em 03/08/2017 08:45

Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
 
O governo ampliou o prazo para o cadastramento dos moradores de Vicente Pires interessados em participar da venda direta. Inicialmente, os ocupantes teriam até domingo para fazer o registro e manifestar interesse em participar do processo, mas a Agência de Desenvolvimento de Brasília (Terracap) remarcou a data final para 21 de agosto. Até agora, 50% dos 4,1 mil moradores se cadastraram. A medida é obrigatória para a inclusão dos terrenos no processo de venda direta.
 
 
Após o fim do prazo de registro, o governo vai divulgar os preços dos imóveis. Técnicos da Terracap começaram a avaliar os lotes e a quantificar a infraestrutura das chácaras de Vicente Pires, para estimar o valor médio de venda. Pelas novas regras da venda direta, divulgadas na semana passada, os compradores terão desconto de 25% para pagamentos à vista, com parcelamento em até 240 vezes, diretamente com a Terracap.

O presidente da Terracap, Júlio César Reis, diz que o governo atendeu ao pedido da comunidade, depois de uma reunião com cerca de 500 moradores na noite da última terça-feira. “A adesão está grande, mas muitos pediram um pouco mais de tempo para o cadastramento e decidimos atender essa demanda. Enquanto isso, segue o trabalho de avaliação dos lotes, que será divulgado ao fim desse processo”, diz Júlio César. O secretário de Cidades, Marcos Dantas, também participou do encontro. Ele conta que a preocupação do governo é tirar todas as dúvidas dos moradores, antes do lançamento do edital. “Nessas reuniões, a gente dá todas as informações para esclarecer eventuais questionamentos que ainda existam”, conta.

O presidente da Associação Comercial de Vicente Pires, Anchieta Coimbra, tem participado ativamente das negociações para a venda direta dos terrenos da região. Ele diz que, por conta de informações truncadas, muitos moradores tinham medo de se cadastrar e passar informações pessoais ao governo. “As pessoas espalhavam que esses dados seriam repassados à Agefis (Agência de Fiscalização do DF), para promover derrubadas. Agora, pela primeira vez, estamos recebendo informações detalhadas, com muitas reuniões com representantes do governo. Com isso, é mais fácil vencer as resistências”, diz Anchieta. “O aumento do prazo para cadastro é uma medida importante, porque, infelizmente, o brasileiro sempre deixa tudo para a última hora. A comunidade pediu mais tempo para entender melhor esse processo”, justifica.

Dúvidas

O analista administrativo Célio José Campos Júnior, 31 anos, mora em Vicente Pires desde 1998. Ocupante de um terreno na Chácara 78, ele conta que a expansão do prazo para cadastramento vai permitir a correção de erros nos projetos. “No condomínio onde moro, muitos moradores consultaram o site da Terracap e não encontraram seus próprios imóveis nos projetos. Eles querem se cadastrar, mas pedem a correção desse problema antes. Com prazo maior, vamos tentar incluir esses terrenos”, diz Célio Júnior.

O morador de Vicente Pires conta que o maior questionamento da comunidade é com relação aos preços. “Os valores a serem cobrados são a grande aflição da comunidade. Ao contrário do que muita gente pensa, há famílias de baixa renda em Vicente Pires, muitas incluídas em programas sociais. É um tema que precisa ser avaliado com cautela”, comenta Célio.


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.