Chefe de gabinete da Sejus se desculpa por agressão a idoso

Ele foi filmado derrubando um idoso com um empurrão, no Recanto das Emas, após a vítima tê-lo xingado. O fato aconteceu em 2016, mas só veio à público na noite desta quarta

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/08/2017 09:06 / atualizado em 10/08/2017 18:32

Reprodução
 

O Chefe de gabinete da Secretaria de Justiça e Cidadania, Haendel Silva Fonseca, soltou uma nota desculpando-se por um vídeo em que aparece agredindo um idoso no Recanto das Emas. Delegado da Polícia Civil, ele começa o texto destacando que o evento, que veio a público na noite desta quarta-feira (10/8), aconteceu em 2016. 


Leia mais notícias em Cidades

As filmagens foram divulgadas em grupos de WhatsApp. Nelas, o delegado aparece muito nervoso após ser insultado pela vítima. Haendel reage, derruba o idoso no chão e, sobre a vítima, começa a gritar. "Você tá doido, rapá? Você tá falando é com um polícia. Respeita, encosta ali", gritou.

Haendel argumenta que “os fatos ocorreram após a pessoa envolvida na ocorrência não atender a orientação de aguardar a chegada dos agentes do órgão de trânsito para solucionar um eventual estacionamento irregular de um veículo em via pública danificado com a aplicação de produto químico de um spray”.

 

“Fui surpreendido, infelizmente, pelo fato de a pessoa envolvida na ocorrência desatender as orientações e dar início inesperadamente com ofensas verbais a um comportamento de desobediência, desacato e vias de fato, que foi por mim interrompida, por um ato reflexo”, afirma.

Ele termina admitindo que errou “na avaliação dos riscos de abordagem” e que deveria ter aguardado outro policial. “Reconheço ainda que, com o inesperado comportamento adotado pelo envolvido, temi em sofrer também uma agressão física. Termino deixando meu pedido de desculpas incondicional a todos e de perdão a Deus e à pessoa envolvida, independentemente de qualquer análise jurídica que o fato permita”, encerra o texto.

Em nota, a Secretaria de Justiça e Cidadania afirmou que "determinou ao servidor que preste as informações sobre o fato e suas circunstâncias, para adoção das providências cabíveis". Na nota divulgado por ele, Haendel informa que solicitou a apuração dos fatos e o próprio afastamento das funções na secretaria até a conclusão do processo. O Correio entrou em contato com a Polícia Civil do Distrito Federal, mas, até a última atualização da reportagem, não obteve resposta.


Confira na íntegra a nota divulgada pelo delegado:
Venho a público esclarecer que lamento profundamente o desentendimento  ocorrido no ano de 2016,  cujas as imagens foram divulgadas na data de ontem.

Os fatos ocorreram após a pessoa envolvida na ocorrência não atender a orientação de aguardar a chegada dos agentes do Órgão de Trânsito para solucionar um eventual estacionamento irregular de um veiculo em via pública,  que estava por esse motivo sendo danificado com a aplicação de produto químico de um spray.

Fui surpreendido infelizmente pelo fato da pessoa envolvida na ocorrência desatender as orientações e dar início inesperadamente com ofensas verbais a um comportamento de desobediência, desacato e vias de fato, que foi por mim interrompida, por um ato reflexo,  ao fazer que se afastasse, tendo o mesmo caído pois como posteriormente verificado, havia ingerido bebida alcoólica naquela data.

É com grande humildade que reconheço que operacionalmente errei na avaliação dos riscos da abordagem realizada sem a a presença de outro policial.

Reconheço ainda que com o inesperado comportamento adotado pelo envolvido, temi em sofrer também uma agressão física.

São fatos como esse que demonstram nossa fragilidade humana, a presença dos nossos medos e reforçam a necessidade pela busca diária pela proteção de Deus.

Termino deixando meu pedido de desculpas incondicional à todos e de perdão à Deus e à pessoa envolvida independente de qualquer análise jurídica que o fato permita.

Solicitei a apuração dos fatos e o meu afastamento das funções na Secretaria até a conclusão. Brasília 08/08/2017.

Haendel Silva Fonseca
Chefe de gabinete
Secretaria de Justiça e Cidadania

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
carlos
carlos - 10 de Agosto às 20:13
VERGONHA!!
 
Pablo
Pablo - 10 de Agosto às 12:35
Se acha deus...
 
VLAD
VLAD - 10 de Agosto às 10:33
*Puliça*, é? ESTE TIPO DE ANALFABETO É QUE O GDF EMPREGA EM SEUS QUADROS? TUDO PELO "AMIGOS COMISSIONADOS", SEM TER ESTUDO, GABARITO, ÉTICA? Com certeza, este Sr. entrou para a PC, na época em que não se requeria nível superior...hoje, nem na primeira prova passaria.