Ex-senador boliviano fica gravemente ferido após queda de avião em Luziânia

O acidente aconteceu na tarde deste sábado (12/8), próximo ao clube aeronáutico da região. Roger Pinto Molina, 57 anos, pediu asilo no Brasil em 2012

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/08/2017 19:42 / atualizado em 12/08/2017 21:17

CBMGO/Divulgação

O ex-senador boliviano Roger Pinto Molina, 57 anos, ficou gravemente ferido em um acidente aéreo na tarde deste sábado (12/8). O avião de pequeno porte que ele pilotava caiu próximo ao Clube Aeronáutico de Luziânia, a cerca de 60Km de Brasília.
 
 
Molina foi transportado para o Hospital de Base do DF com traumatismo craniano, trauma de face e trauma de abdômen e sofreu parada cardiorrespiratória. Segundo o Corpo de Bombeiros de Goiás, que fez o resgate, o avião caiu logo após a decolagem, ainda na cabeceira da pista. Não houve fogo nem explosões após a queda. As causas do acidente ainda serão investigadas.
 
Amigos de Molina que foram ao Hospital de Base para acompanhar o quadro de saúde dele preferiram não conversar com a imprensa. Eles tentam entrar e contato com a família para avisá-loes sobre o acidente.
 
O médico que atendeu o ex-senador, Ricardo Salsano, informou que o estado do paciente é grave e instável e que ele está em coma. Molina passará por uma tomografia e por outros exames nesta noite. Ainda segundo ele, o boliviano está com a face dilacerada e perdeu muito sangue. "Foi um trauma grande, afundamento de face, tórax. Ele vai ser levado para os exames de tomografia agora", explicou.
 
CBMGO/Divulgação

Relembre 


Molina pediu abrigo à Embaixada do Brasil em La Paz em maio de 2012. Em junho, o país concedeu o asilo. Ele só veio para o país, no entanto, em 2013. O ex-senador se dizia perseguido políticamente pelo governo do presidente Evo Morales. Molina é acusado de corrupção e conivência com o narcotráfico. Ele nega, mas é alvo de 20 ações judiciais abertas pelo governo em diferentes cidades bolivianas. Moli era um dos líderes da oposição.
 
Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/2013
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.