DF ganha primeiro ambulatório especializado em tratamento de transexuais

A unidade, localizada no Hospital Dia, na Asa Sul, passa a atender em 21 de agosto e prestará assistência em psicologia, psiquiatria, serviço social, endocrinologia e enfermagem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/08/2017 11:06 / atualizado em 14/08/2017 23:12

Divulgação Agência Brasília.

Brasília ganha, nesta segunda-feira (14/8), o primeiro Ambulatório Trans do Distrito Federal. A unidade, localizada no Hospital Dia, na 508/509 Sul, tem equipe multiprofissional, que promoverá o atendimento a transexuais e travestis. Ocupando cinco salas, o serviço prestará assistência em psicologia, psiquiatria, serviço social, endocrinologia e enfermagem.
 
 
Mais adiante, o atendimento será ampliado com a inclusão de especialidades como ginecologia e urologia. Para a inauguração, na tarde de segunda, foram programadas apresentações artísticas e a produção de grafites no muro interno do Hospital Dia, com temática alusiva às pessoas trans.
 
Para ter acesso aos serviços do ambulatório, a partir do dia 21, os interessados poderão se dirigir à unidade de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h e das 14h às 16h, e agendar a participação nos grupos de entrada, que funcionarão às terças, das 10h às 11h, e às quintas-feiras, das 14h30 às 16h. 
 
À frente da programação de inauguração do ambulatório, estão a Secretaria de Saúde e a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e direitos Humanos, além das seguintes instituições sociais e unidades do serviço público: Instituto Brasileiro de Transmasculinidade (IBRAT); Associação do Núcleo de Apoio e Valorização à Vida de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Distrito Federal e Entorno (ANAVTRANS); União Libertária de Travestis e Mulheres Transexuais; Defensorias Públicas da União e do Distrito Federal, Coordenação de Diversidade da Subsecretaria de Direitos Humanos e CREAS da Diversidade da Subsecretaria de Assistência Social.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.