Campanha para ajudar brasiliense a 'voltar a respirar' chega a 85% da meta

Com apenas 21% dos pulmões funcionando, Alexandre fez uma vaquinha coletiva para comprar um respirador portátil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/08/2017 12:28 / atualizado em 15/08/2017 14:02

Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press
A campanha para ajudar o ex-pintor Alexandre Chaves Vieira, 42 anos, a “voltar a respirar” está surtindo efeito. A história do morador do Recanto das Emas que fez uma vaquinha online para comprar um concentrador de oxigênio portátil foi contada em primeira mão pelo Correio no começo de julho. Um mês depois, 85% da meta já foi alcançada. “Lembro que em 20 dias de arrecadação não havia conseguido sequer um real. No dia seguinte a primeira matéria do Correio, meu celular vibrou o tempo todo com notificações de depósitos. Sou muito grato por tanta solidariedade”, agradece o homem. 
 

Alexandre convive com dificuldades impostas por duas doenças raras: a anemia falciforme, – uma alteração da concentração de ferro no sangue –, e a hipertensão pulmonar. Com apenas 21% dos pulmões funcionando, para conseguir respirar Alexandre precisa ficar conectado a um concentrador de oxigênio 24 horas por dia, e só pode sair de casa se tiver o equipamento portátil. No entanto, há oito meses o equipamento que ele usava –e que era fornecido pelo Governo do Distrito Federal (GDF) –, foi recolhido e agora a dificuldade para fazer coisas simples do dia a dia foram redobradas.

Após o equipamento ser recolhido, a qualidade de vida de Alexandre despencou. “O governo empresta um concentrador portátil para quando eu tivesse consultas, mas agora não posso sair de casa para ir ao shopping com meu filho, a uma padaria ou simplesmente caminhar na rua”, relata. Cansada de ver o sofrimento do marido, Elane Brito, 44, decidiu abrir uma vaquinha coletiva para que Alexandre tenha o próprio aparelho. “Fiquei cansada de chegar ao quarto e pegá-lo chorando. Ele voltou a apresentar depressão e nos dizia que queria morrer, pois não aguentava mais viver prostrado em uma cama”, relembra a mulher. 

O objetivo da campanha é conseguir R$ 27 mil,  valor necessário para adquirir um concentrador portátil de 3kg, com até 14 horas de duração, e que possa ser recarregado até na tomada. Até a publicação desta matéria, a campanha já havia arrecadado R$ 23.145,39. Faltando menos de 15% para a meta, Alexandre está confiante. “Estou muito feliz porque sei que vamos chegar a meta. Eu acredito”, assegura. 

Como ajudar

Colabore na Vakinha on-line acessando o link 
 CPF: 802.146.811-49
 
Banco Bradesco
Agência 879-6
Conta Poupança 62111-0
 
Caixa Econômica Federal
Agência 0008
Operação 013
Conta Poupança 16667-2
 
Demais doações e cestas básicas: (61) 3333-1085
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.