Moradores de rua reformam 60 bicicletas e realizam passeio ciclístico

Projeto ensinou moradores de rua a consertarem bicicletas. As 60 bikes reformadas foram distribuídas a outras pessoas que não têm onde viver, e usadas, neste sábado, em passeio ciclístico pelo centro de Taguatinga

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/08/2017 12:47 / atualizado em 19/08/2017 14:15

Carina Ávila/Esp. CB/D.A. Press

 
Para celebrar o Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua, que coincide com o Dia do Ciclista no Brasil, ambos comemorados em 19 de agosto, nada melhor que um passeio ciclístico solidário. O Pedal Cidadão, realizado com 60 bicicletas reformadas e consertadas por moradores de rua, ocorreu na manhã deste sábado (19/8), em Taguatinga. Foram quase 7km de trajeto, do Taguaparque até o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop).

Há dois meses, o Centro Pop de Taguatinga Norte, que atende a cerca de 130 pessoas em situação de rua, arrecadou 60 bicicletas quebradas para que os usuários do espaço pudessem ser treinados para o ofício de mecânico de bicicleta.
 
Oito moradores de rua participaram da oficina e reformaram, em 40 dias, todas os veículos arrecadaoas, que foram distribuídos para outras pessoas que vivem na mesma situação. E foram essas mesmas bikes as usadas no passeio deste sábado. Além dos usuários do Centro Pop, outros ciclistas se uniram à pedalada. Ao todo, cerca de 100 pessoas estiveram presentes na celebração.
 
 
O projeto foi criado pelo servidor público Wendell Viana, 40 anos, agente social do Centro Pop. Além de trabalhar na unidade, ele também é mecânico de bicicletas. Por isso, teve a ideia de ensinar o ofício aos frequentadores do local. “Com o projeto, além de ensinar uma profissão, também incentivamos o uso de um transporte ambientalmente correto e proporcionamos inclusão social”, pontua Viana.

Oscar Benites, 30 anos, foi um dos participantes do projeto. Ele nunca havia consertado uma bicicleta, mas garante que, após a oficina, é capaz de reformar qualquer uma. “Aprendi direitinho. Pode me dar qualquer bike quebrada que eu conserto agora”, assegura. Assim como ele, Antônio Marcos Medeiros, 41, ressalta que o aprendizado foi enorme. “Entrei na oficina para apoiar meus amigos, mas acabei tomando gosto e aprendendo a mexer com bicicletas. Agora, todos nós temos nossas próprias magrelas, que nós mesmos reformamos”, orgulha-se.

Carina Ávila/Esp. CB/D.A. Press
 
Diferentemente dos colegas de curso, o baiano João Miranda dos Santos, 41 anos, é usuário ativo de bikes há anos. Acostumado a viajar sobre duas rodas, ele já pedalou da capital federal até Uruguaiana (RS), na fronteira com a Argentina. Foram quase três meses de viagem para percorrer os 2.250km. “Quando eu tinha algum problema com a bicicleta, precisava parar para pedir ajuda na estrada, ou pedia socorro em oficinas. Agora, eu mesmo posso consertar minha bicicleta”, diz. João tem planos de usar a bike reformada por ele para pedalar até Belo Horizonte (MG), onde tem duas filhas.

Apoio de ciclistas


Grupos de pedal e moradores de Taguatinga participaram do passeio ciclístico para prestigiar o projeto. Cinco integrantes do grupo Pedala Recanto, do Recanto das Emas, estiveram presentes. “Também realizamos muitos projetos sociais de fomento do uso de bicicleta. Viemos apoiar e auxiliar os participantes, que não têm muita experiência de pedal”, explica Eliésio Florêncio, 49 anos, coordenador do Pedala Recanto. “Nosso grupo tem mais de 200 integrantes, mas não quisemos trazer muita gente, para não tirar a visibilidade dos verdadeiros donos da festa, usuários do Centro Pop”, ressalta.
 
Carina Ávila/Esp. CB/D.A. Press
 
Servidores da administração regional de Taguatinga também fizeram questão de prestigiar o projeto. A ciclista Dayane Andrade, 37 anos, é jurídica da administração e se empolgou com a iniciativa. “Ensinar moradores de rua a se tornarem mecânicos de bicicleta é uma ideia genial. Fornece meios de transporte e oportunidades de trabalho”, destaca.

O evento terminou no Centro Pop, com apresentação da banda Vozes da Rua, composta por moradores de rua que frequentam local. Ao lado de suas novas bicicletas, os usuários do centro de apoio dançaram e cantaram empolgados as músicas de rock e MPB tocadas pelos colegas.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
filomena
filomena - 19 de Agosto às 15:49
Essa e' uma ideia maravilhosa! seria bom se mais gente de diferents profissoes participase dessa oficina, cada um ensinando as profissoes que sabem.