Servidora é barrada no Ministério da Agricultura por estar de bermuda

Segundo Elaine Meirelles, não havia nenhum aviso sobre o tipo de vestimenta exigido para adentrar no órgão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/08/2017 17:35 / atualizado em 21/08/2017 17:40

Correio Braziliense


Uma servidora pública foi impedida de entrar no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por não estar vestida "adequadamente", segundo o órgão. Elaine Meirelles, 32 anos, trabalha no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), e estava indo almoçar, na tarde da última quinta-feira (17/8), no restaurante interno do Mapa, quando foi abordada e barrada pelos seguranças da recepção.


Segundo a servidora, não havia nenhum aviso sobre o tipo de vestimenta exigido para entrar no órgão. "Frequento esse restaurante há cinco anos e nunca me barraram com essa roupa. Quando questionei o motivo, eles me disseram que havia uma nova norma e eu precisava segui-la", lembra. Elaine afirmou, ainda, que se sentiu constrangida com o tratamento que recebeu na recepção do ministério: "O problema não foi terem me barrado por conta da regra de vestimenta, foi a abordagem truculenta e constrangedora a que fui submetida."

 

Leia mais notícias em Cidades


Em um vídeo gravado no momento da confusão, a servidora conversa com um responsável de dentro do ministério e pede números de protocolos. "Fui orientada a fazer uma reclamação sobre como fui tratada. Foi um absurdo", desabafa.

 

A norma de acesso ao Mapa, aplicada desde 20 de junho deste ano, diz, no cap. XV, que "é terminantemente vedado o acesso às dependências do Ministério usando trajes, tipo short, bermuda, camiseta regata, top, minissaia, chinelo e outros incompatíveis com o ambiente do Ministério".

 

Em nota, o Mapa disse que lamenta o ocorrido e que irá apurar todos os fatos. O ministério frisou, ainda, que "a servidora foi procurada pela Secretaria-executiva, por telefone, e informada sobre abertura de sindicância para apurar eventual  interpretação exagerada do normativo." Segundo eles, as "portas ficaram abertas para contato direto com a secretaria." Houve, também, pedido de desculpas para Elaine e, segundo o Mapa, os seguranças estão sendo orientados sobre o acesso "para evitar novos transtornos".

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Flávia
Flávia - 24 de Agosto às 10:34
Gente, toda e qualquer pessoa de bom senso sabe que não se entra em trajes (avima relatados) em orgão público. Ela vai já inventar alguma coisa e dizer que é porque é negra quer valer quanto? Inconstitucional porque ? Gente, até no hospital para fazer visita não se entra de bermuda, que dira em um orgão federal....... Me polpe o mundo está antipático
 
Lotar
Lotar - 22 de Agosto às 13:49
Que vergonha ter funcionários públicos deste tipo, achando que trabalho é festa e praia. Brasília é uma cruz para o brasileiro, porque tem que sustentar estes parasitas com seu suor. Estes brasilienses roubam o sonho das futuras gerações. Sabemos que o expediente é das 9h00 às 11h00 apenas, que procurem se controlar para trabalhar pelo menos um pouquinho.
 
Alan
Alan - 22 de Agosto às 13:35
Aí se juntaram duas coisas: o despreparo dos seguranças para lidar com público, que é algo crônico, com a incompetência do responsável pela edição e aplicação da norma, pra orientar os seguranças. Certa vez fui barrado num órgão público porque estava usando boné, havia uma norma que proibia bonés, chapéu e similares porque escondem o rosto da interferiam na identificação. Estava de jeans e camisa esportiva nesse dia. Voltei alguns dias depois usando paletó e com um chapéu panamá e entrei normalmente...
 
Sergio
Sergio - 22 de Agosto às 13:06
Deveriam proibir algumas "personalidades" de terno e gravata...
 
CONSTANTINO
CONSTANTINO - 22 de Agosto às 10:51
bermuda é traje para ficar em casa, ou passear, não é para ir trabalhar. De jeito que a coisa vai, qualquer dia a rapaziada vai para o Ministério de camiseta e sandália de dedo. Esse Brasil precisa entrar no eixo, e rápido..
 
Flavio
Flavio - 21 de Agosto às 21:58
Não há transtorno a merecer reparo. Antes, apenas o descumprimento de norma a requerer exame administrativo e, se for o caso, punição.
 
Mauricio
Mauricio - 21 de Agosto às 21:01
Norma e norma amiga. Já queria tentar o jeitinho brasileiro. Ainda bem que os seguranças estão bem treinados. O vídeo mostra que é uma bermuda. Imagine os homens entrando de bermuda. Todos de bermuda. Kkkkkk
 
fabio
fabio - 21 de Agosto às 19:26
Eu tava de calça com uma camisa regata fui na justiça federal resolver problema não deixaram entra muito revoltante isso palhaçada perdi o dia moro longe pra caramba, saber que vigilante falou para mim vai no brecho compra uma camisa kkkk so tava com dinheiro da passagem contado