Presa quadrilha que usava documentos de pessoas mortas para fraudes

De acordo com as investigações, a organização usava o CPF de pessoas mortas, mas cujo cadastro ainda não havia sido atualizado na Receita Federal

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/08/2017 08:07 / atualizado em 29/08/2017 22:03

PCDF/Divulgação
 
Uma quadrilha especializada em estelionatos e furtos que usava documentos de pessoas mortas para cometer fraudes bancárias foi alvo Operação Ammit, da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). A ação foi realizada, na manhã desta terça-feira (29/8), pela 24ª Delegacia de Polícia (Setor O - Ceilândia). 
 
 
De acordo com as investigações, a organização usava o CPF de pessoas mortas, mas cujo cadastro ainda não havia sido atualizado na Receita Federal. Com esse número de identificação, os criminosos falsificavam documentos e se passavam pela pessoa. Com o apoio de um gerente de banco, que integrava o grupo, os autores do crime contraíam empréstimos, sacavam o saldo disponível, emitiam cartões, etc.
 
PCDF/Divulgação
 
 
Durante a operação, foram apreendidas cédulas de identidade e carteiras de habilitação falsificadas, contratos bancários, cartões de banco e vários apetrechos usados para a falsificação de documentos. Todos os membros da quadrilha foram identificados, dentre deles um gerente de banco e um ex-agente da PCDF. Os dois líderes estão presos e outros dois, foragidos.  
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.