Família vítima de atropelamento no Gama é enterrada sob aplausos

Sepultamento ocorreu 30 minutos antes do previsto. Velório lotou capela no cemitério Campo da Esperança no Gama

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/08/2017 18:29 / atualizado em 29/08/2017 18:45

Luis Nova/Esp. CB/D.A. Press
Cerca de 300 pessoas compareceram, na tarde desta terça-feira (29/9), ao enterro das três vítimas do atropelamento que chocou o Gama no último domingo (27/8). O sepultamento, no cemitério Campo da Esperança da região, ocorreu às 16h, meia-hora antes do horário previsto, por causa do estado de saúde do pai e avô das vítimas, Man Sun Go. 

 
O idoso também estava no desastre que matou as irmãs Gabriela de Jesus Carvalho, 19 anos, e Rute Ester de Jesus Carvalho, 22, além de Erico Henrique Carvalho, 6 meses, filho de Rute. Man Sun Go chegou a passar mal durante os funerais e precisou sair do cemitério. Ele apresentava hematomas e feridas ainda visíveis por conta do atropelamento.

Além de parentes e amigos, pessoas que participavam de outro velório, na capela vizinha, também foram prestar condolências às vítimas da tragédia. Pouco antes do sepultamento, o pastor Antunes Espedito fez um pequeno culto de 20 minutos com orações e hinos religiosos. O sacerdote conhece a família Carvalho há seis anos. “São pessoas do meu convívio. Estamos com o coração destroçado”, declarou.

Segundo relatos, policiais e bombeiros que compareceram ao enterro também estavam emocionados. Do lado de fora da capela, faixas erguidas mostravam os pedidos de justiça. O adolescente de 17 anos acusado de atropelar a família continua sob custódia na Unidade de Internação Provisória de São Sebastião até, no mínimo, a decisão do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT) em formalizar ou não a queixa contra o rapaz.
 
 
 
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.