Torce: fim de semana de esporte em Centros Olímpicos e Paralímpicos

Dezenas de atletas se enfrentaram em partidas de basquete, vôlei, futebol e boxe

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/09/2017 19:23 / atualizado em 04/09/2017 18:21

Camila de Magalhães/FAC/D.A Press

 
Dois dias de muita vibração, desafios e superação de limites. Assim foi o fim de semana para dezenas de atletas de várias regiões do Distrito Federal. As competições do Torce - Jogos dos Centros Olímpicos e Paralímpicos estão de volta e trouxeram muita adrenalina para os participantes. O evento esportivo, que tem como marca a diversidade, reúne cerca de 5 mil atletas de várias idades, de crianças a idosos, em 20 modalidades esportivas. A iniciativa é uma realização da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal em parceria com a Fundação Assis Chateaubriand. "Ficamos muito felizes em proporcionar esse momento de união entre as comunidades, com muito fair play, cooperação e aprendizado com o perder e ganhar", destacou Rodrigo Bahia, um dos organizadores do Torce.

No sábado, houve confrontos entre as unidades de Samambaia e Riacho Fundo I. Ontem (3/9) foi a vez dos alunos da Estrutural e Sobradinho se enfrentarem. Basquete, vôlei, futebol society, futebol de areia, futsal e boxe foram os esportes da vez. 

O dia foi ainda mais especial para a turma do boxe. Um ringue foi montado no ginásio do Centro Olímpico da Estrutural para receber 10 atletas da casa, na categoria infantil, e outros 18 atletas, das categorias cadete, juvenil e elite, indicados pela Federação Brasília Open Boxe. Segundo o presidente da federação, Eudes Santos, as lutas serviram para uma seletiva. "O trabalho em parceria com o Torce nos ajuda muito porque vamos descobrindo novos atletas, revelações, a partir da mais tenra idade, crianças que estão começando. O boxe ajuda muito no desenvolvimento motor, equilíbrio, coordenação, força, velocidade, e isso os ajuda como seres humanos", observou Eudes.

O pequeno Pedro Lucas Oliveira, 13 anos, aluno da Estrutural, se emocionou com a oportunidade de conhecer novas perspectivas com o esporte. "Eu era muito violento, conheci o boxe aqui no Centro. Me ajudou a não brigar direto, controlar a raiva, ajuda a gente a ter autoestima. Meu sonho é ser lutador profissional", disse o atleta. Campeã brasileira de karatê, a colega Larissa Beatriz de Oliveira, 12, optou por escrever uma nova história no boxe e lutou sob o olhar atento dos pais e do professor, Caio Machado, membro da equipe pedagógica da Fundação Assis Chateaubriand.

As próximas rodadas do Torce está prevista para os dias 16 e 17 de setembro. Informações sobre o evento esportivo: www.facbrasil.org.br e www.facebook.com/esportecidadaniadf
 
Camila de Magalhães/FAC/D.A Press
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.