Governo inaugura centro para monitorar tornozeleiras eletrônicas no DF

Inicialmente, o DF contará 175 tornozeleiras para monitorar indivíduos por determinação judicial

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/09/2017 10:41 / atualizado em 04/09/2017 18:42

Mayara Subtil/Esp. CB/D.A Press
O governador Rodrigo Rollemberg inaugurou, na manhã desta segunda-feira (4/9), o Centro Integrado de Monitoração Eletrônica (Cime). A central, localizada no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), controlará as tornozeleiras eletrônicas utilizadas no Distrito Federal.
 
 
O Cime será responsável por monitorar as pessoas que, por determinação judicial, devem utilizar tornozeleiras eletrônicas no DF. Haverá duas centrais para a instalação do equipamento: uma na Subsecretaria do Sistema Penitenciário do DF (Sesipe) e outra no Núcleo de Audiência de Custódia (NAC), localizado no Departamento de Polícia Especializada da Polícia Civil.
 
Incialmente, o GDF conta com 175 dispositivos, que foram alugados. À medida que haja necessidade de mais tornozeleiras, elas serão alugadas. A meta, segundo o governo, é dispor de até 6 mil equipamentos.
 
Cada tornozeleira, com toda a estrutura necessária para o monitoramento, como baias, computadores e o software que opera o sistema, vai custar R$ 161,92 ao mês. Porém, a Secretaria de Segurança Pública e Paz Social (SSP) só vai pagar pelo serviço à medida em que ele for utilizado. A empresa, contratada por meio de licitação, foi a UE Brasil Tecnologia LTDA. 
 

Novos presídios 

 
Na ocasião, Rollemberg também anunciou a construção de dois novos presídios para abrigar mais 800 presos e de uma nova instalação com capacidade para 3 mil detentos. "À medida em que o sistema penitenciário for necessitando, faremos o possível para disponibilizar mais tornozeleiras", prometeu. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.