Vencimento de vacinas contra HPV faz Ministério da Saúde ampliar campanha

DF não participará, pois segundo a Secretaria de Saúde, a capital não tem vacinas com vencimento em 2018

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/09/2017 07:03 / atualizado em 11/09/2017 23:13

Gabriel Jabur/Agência Brasília


O Ministério da Saúde ampliou o prazo de vacinação contra o papiloma vírus humano (HPV), para homens e mulheres entre 15 e 26 anos. Agora, quem quiser se proteger do vírus tem até março de 2018. Inicialmente, o período acabaria este mês, mas alguns estoques venceriam no terceiro mês do ano que vem. O governo federal alterou o calendário para evitar o desperdício de doses com vencimento para o primeiro trimestre do próximo ano. Contudo, o DF não prorrogou o imunização. 

Segundo a Secretaria de Saúde, a capital não tem vacinas com vencimento em 2018. “Todo o estoque tem vencimento em 2019. Por esse motivo, o DF não ampliará a vacinação”, explicou em nota. Atualmente, o DF 26,2 mil doses disponíveis — sendo  8,1 mil doses no estoque, 6 mil nos postos de saúde e mais 12,1 mil enviadas pelo Ministério da Saúde. O governo federal repassa mensalmente as vacinas aos estados, que são responsáveis por garantir a vacinação da população. 
 
Com o fim dos estoques a vencer em março de 2018, a orientação do Ministério da Saúde é que a vacina continue sendo administrada apenas no público-alvo (9 a 15 anos). As pessoas de 15 a 26 anos que tomarem a primeira dose da vacina HPV neste período terão garantidas as doses subsequentes no SUS. Para essa faixa etária, o esquema vacinal é com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, destacou, em nota, que a orientação é que as secretarias de Saúde utilizem as vacinas até que durem os estoques. “A recomendação é que os municípios utilizem as vacinas com prazos de validade a expirar, evitando um possível desperdício e dando a oportunidade para que essas outras faixas etárias possam usufruir dos benefícios proporcionados pela vacina”, ressaltou.

Vacina previne contra o câncer


Existem mais de 200 tipos de HPV, sendo que 150 foram cientificamente identificados e sequenciados geneticamente. Entre esses tipos, 14 apenas podem causar lesões precursoras de câncer, como o de colo de útero, garganta ou ânus. Os sintomas normalmente se manifestam após entre dois e oito meses da infecção, ele pode ficar encubado, ou seja, presente no organismo, mas sem se manifestar, por até 20 anos. 

O principal sintoma do HPV é o surgimento de verrugas ou lesões na pele, normalmente uma manchinha branca ou acastanhada que coça. Muitas vezes, no entanto, a lesão pode não ser visível a olho nu, aparecendo em exames. “A vacina HPV Quadrivalente é segura, eficaz e é a principal forma de prevenção contra o aparecimento do câncer do colo de útero, quarta maior causa de morte entre as mulheres no Brasil. Nos homens protege contra os cânceres de pênis, orofaringe e ânus. Além disso, previne mais de 98% das verrugas genitais, doença estigmatizante e de difícil tratamento”, ressalta o Ministério da Saúde.

18 milhões

Total de dose aplicadas na população feminina desde o início da vacinação, em 2014, até junho deste ano


7,1 milhões 

Quantidade de meninas que receberam o esquema vacinal completo (duas doses)  o que corresponde a 59,7% do público-alvo

853 mil

Total de meninos, de janeiro a junho deste ano, que se vacinaram com a primeira dose da vacina de HPV, o que corresponde a 23,6% do público-alvo

3,6 milhões 

Quantidade de meninos entre 11 e 13 anos que devem se imunizar

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.