GDF apresenta plano de compensação ambiental para obras do Torto-Colorado

Com a intenção de economizar R$ 25 milhões, GDF apresenta proposta para construir em área do Parque Nacional

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/09/2017 19:03 / atualizado em 12/09/2017 19:32

Dênio Simões/Agência Brasília
 
O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, e o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, reuniram-se, nesta terça-feira (12/9), para tratar das obras de ligação Torto-Colorado, dentro do Parque Nacional de Brasília. Segundo Rollemberg, para executar a obra da terceira pista entre a Granja do Torto e o Colorado, é necessário contruir um viaduto de acesso ao Taquari. Essa estrutura teria de avançar cerca de 50 mil metros quadrados na área do Parque Nacional, que é de responsabilidade do governo federal. 


De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), a extensão equivale a pouco mais que o tamanho de um lote no Park Way. Em contrapartida, o GDF propõe ofertar uma área de preservação ambiental 10 vezes maior, localizada, conforme o diretor-geral do DER, Henrique Ludovice, ao longo de toda a DF-001. 

“São temas muito importantes para Brasília: viabilizar a construção de um viaduto em uma área já degradada e muito pequena do Parque Nacional e trazer conforto especialmente para a população do Taquari”, defendeu o governador em encontro no Ministério do Meio Ambiente. Rollemberg afirma, ainda, que, caso seja aceita a compensação, o GDF economizará R$ 25 milhões nas obras.

Obras


A ligação Torto-Colorado consiste na construção de uma pista marginal à DF-003 e de novos acessos aos condomínios. Com o Trevo de Triagem Norte, vai dar fim a longos congestionamentos e beneficiar, segundo o GDF, cerca de 100 mil motoristas que transitam por lá diariamente.

O Trevo de Triagem Norte é composto por 16 obras, entre pontes, viadutos e túneis, com o objetivo de distribuir o fluxo de veículos com destino ao Plano Piloto, levando ao Eixão Norte e Sul, à W3, aos Eixinhos Leste e Oeste e à L2. Somadas às passagens previstas na Ligação Torto-Colorado, serão 28 intervenções.

As obras de mobilidade urbana vão custar R$ 207 milhões — R$ 146 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), R$ 51 milhões de contrapartida do governo de Brasília e R$ 10 milhões da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap).
 
Com informações da Agência Brasília 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.