Audiência de conciliação termina sem acordo e rodoviários podem parar

De acordo com o diretor financeiro do sindicato, João Osório, a categoria vai se reunir na próxima segunda-feira (18/9) para decidir se cruza, ou não, os braços

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/09/2017 20:53 / atualizado em 15/09/2017 22:21

Bárbara Cabral/Esp.CB/D.A. Press

 
Terminou sem acordo a audiência de conciliação entre empresas de ônibus e o Sindicato dos Rodoviários (Sinttrater-DF) ocorrida nesta sexta-feira (15/9), na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região. Assim, há a expectativa de que a categoria entre em greve a partir da próxima semana.
 
 
O diretor financeiro do sindicato, João Osório, confirmou que a paralisação deve ocorrer. Segundo ele, a categoria vai se reunir na próxima segunda-feira (18/9) para decidir se cruza, ou não, os braços. Em nome das empresas, o presidente do Transit (Transportes Integrados do DF), Barbosa Neto, disse esperar que a greve não aconteça.

A desembargadora Maria Regina Machado Guimarães, que mediou a audiência, apresentou uma proposta às partes, prevendo um reajuste de 4,75% no salário, 5% no ticket alimentação, 5,5% na cesta básica e 13,55% no plano odontológico. Carlos Eduardo Brisolla, representante do Ministério Público do Trabalho presente na reunião, apresentou uma outra proposta, sugerindo um escalonamento no reajuste dos salários: 4% de maio a setembro e 5% de setembro em diante. As partes envolvidas terão até segunda-feira para se posicionar sobre essas propostas.

Vale lembrar que, na última paralisação dos rodoviários, a Justiça alertou que a categoria poderia ser multada, caso descumprisse a lei de greve, que determina um aviso prévio de 72 horas e a garantia da manutenção dos serviços essenciais.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Jose
Jose - 16 de Setembro às 02:20
Fico besta a cara dura desses empresários e des-Governanttes e seus espíritos miseráveis! - Mas quando é para COMPRAR VOTOS PARA COMETER ATOS ILÍCITOS, é de uma disposição ímpar! Como agora,liberaram coisa próxima de R$30 Bilhões,num piscar de olhos,ou para corromper agentes públicos,se é que podemos chama-los assim, com objetivos infames de LIBERAR CARROÇAS ASSASSINAS parar servir de transporte parra a população! PENA DE MORTE JÁ! Pena, que se ainda vier,é muito tarde e sirva apenas para solução paliativa,como foram tratadas as 07 prioridades deste país! LIMPA BRASIL JÁ!