Ação da Agefis termina em briga entre fiscais e moradores em Águas Claras

Segundo relatos de moradores, os agentes quase atropelaram crianças e pedestres. Governador Rollemberg determinou a apuração dos fatos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/09/2017 16:43 / atualizado em 16/09/2017 18:12

"Vocês estão passando com o carro em cima de crianças! Não é assim que se age!" A frase, gravada em vídeo que circula nas redes sociais, é de uma mulher que reclama da ação da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) realizada na noite de sexta-feira (15/9), em Águas Claras.
 
Os agentes verificavam o uso irregular de área pública por bares localizados próximo à estação Arniqueiras, mas os moradores reclamam da forma violenta como a operação foi realizada. Neste sábado (16/9), a assessoria de Rodrigo Rollemberg informou que o governador do DF "determinou que todos os fatos sejam apurados".
 
 
 
De acordo com denúncias feitas por pessoas que presenciaram o ocorrido, os fiscais da Agefis abordaram os cidadãos de forma equivocada e, inclusive, quase atropelaram pedestres e crianças. Além disso, os denunciantes afirmaram que houve abuso de autoridade de funcionários do órgão, bem como a obrigação forçada de retirada das pessoas que estavam nos bares.  


Houve, também, relatos de empurrões por parte de um servidor do órgão contra uma mulher e um funcionário de restaurante. Indignadas, algumas pessoas filmaram a discussão com os servidores que, assim que perceberam os registros da população, viraram o rosto. Nos vídeos, é possível perceber até agressão verbal entre moradores e fiscais do órgão. Parte do veículo da Agefis foi quebrado e encaminhado para perícia. 
 
Truculência 
 
A servidora Ivana de Carvalho, 49 anos, que mora próximo do local da confusão, não esperava que uma noite tranquila com o filho de 8 anos pudesse terminar com ela acionando a polícia. Em uma mesa do lado de fora do Bar Frequência com dois casais de amigos e três crianças, ela conta que observou cerca de 20 servidores da Agefis agindo de forma muito ríspida com os frequentadores. "Eles chegaram mandando as pessoas se retirarem das mesas de forma completamente truculenta. Não sabíamos a causa disso tudo", afirma. 

Ela conta que a área é muito frequentada por famílias e conta com uma praça para as crianças brincarem. Com medo do tumulto ficar maior e devido ao desespero do filho, Ivana chamou a polícia e foi para casa. "Quando chega sexta-feira, aquela região fica cheia de gente, com muitas crianças e vários casais. Eles não tiveram nem o cuidado de observar se tinha criança por ali. Foi horrível", conta. 

A Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) informou que os agentes realizavam uma operação contra irregularidade de área pública e constatou a utilização de mesas e cadeiras nas calçadas, o que dificultava a acessibilidade e passagem de pedestres. Os agentes foram acionados pela Administração Regional de Águas Claras e quatro estabelecimentos já haviam sido notificados pelo órgão em operações anteriores. A demanda sobre as irregularidades do comércio no local são recorrentes. 

Todas as reclamações e denúncias devem ser enviadas para a Ouvidoria da Agefis pelo número 162.
 
Reprodução/YouTube
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Francisco
Francisco - 17 de Setembro às 09:54
Terceirização de serviços dá nisso. Contratação de pessoal desqualificado e de baixo nível cultura.
 
Sérgio
Sérgio - 17 de Setembro às 09:44
É minha gente! quando o assunto é contra a burguesia não tem jeito! tem que ser do jeito deles.