Voluntários se mobilizam na web e pedem ajuda contra incêndio na Chapada

Mesmo com o grande esforço de combate, o fogo segue sem controle. Voluntários pedem alimentos, combustível e dinheiro para seguir com os trabalhos na região pelos próximos dias na Chapada dos Veadeiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/10/2017 06:20 / atualizado em 24/10/2017 17:15

Fernando Tatagiba/ICMBio/Divulgação
Enquanto o incêndio avança e ameaça cada vez mais o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO), grupos de ambientalistas voluntários e moradores da região, além de reforçarem o combate às chamas desde a terça-feira (17/10), passaram a pedir ajuda especializada e doações nas redes sociais. Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal gestor do parque, até a última atualização, dos 250 mil hectares de vegetação, 35 mil (14,6%) haviam sido atingidos. É o pior incêndio em um dos pontos turísticos mais visitados por brasilienses desde que o Parque foi ampliado, em julho deste ano.
 
 
Uma mensagem, divulgada no perfil Savana Veadeiros, no Facebook, os voluntários chamam a atenção para a gravidade dos incêndios e para a atividade incessante dos brigadistas, que trabalham dia e noite para conter o fogo. "Todo o comércio local foi prejudicado pelo fechamento do parque. Lojas, pousadas e restaurantes que vivem do turismo, tiveram grandes prejuízos. Nós estamos sendo intoxicados pela fumaça, nossas crianças choram de dor nos olhos e estão com muita tosse. Famílias perdendo suas casas e terras", diz o texto.
 
 

Como a estimativa é de que os trabalhos sigam pelos próximos dias, eles pedem doações de alimentos para os brigadistas e demais voluntários, água e combustível para percorrer as longas distâncias dentro do parque. Algumas contas bancárias foram indicadas no post para doações em dinheiro, que será usado para compra de marmitas.
 
 

Em outro perfil, de Peu Lucena, o apelo é por ajuda especializada, como voluntários com experiência em combate a incêndios florestais e com equipamentos de proteção para a atividade, que é de alto risco. Outras pessoas divulgam fotos da destruição pelo fogo e reforçam pedidos de intervenção da União no caso, como decreto de Estado de Calamidade, ajuda do Exército, entre outros.
 
Fernando Tatagiba/ICMBio/Divulgação
 
 
 

Fogo avança

Mesmo com o grande esforço de combate, o fogo segue sem controle. O ICMBio afirma que, além de brigadistas do instituto, que ficam no parque, outras unidades de conservação no país também auxiliam os trabalhos, como o Ibama PrevFogo, Grupo Ambientalista do Torto (GAT), Corpo de Bombeiros de Goiás, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Prefeitura de Alto Paraíso.
 
Além disso, centenas de voluntários estão em campo ou prestando apoio logístico à operação. Homens do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal também estão na Chapada dos Veadeiros ajudando no combate ao fogo que consome o Parque Nacional. Quatro viaturas foram disponibilizadas para os trabalhos. A equipe do DF chegou na sexta-feira e a previsão é que fique 10 dias na Chapada, dependendo da evolução do incêndio.

Quatro aviões air tractor e 3 helicópteros estão sendo usados no combate ao incêndio. De acordo com o ICMBio, as principais frentes se localizam perto do Córregos dos Ingleses, próximo às estruturas administrativas do parque, e no Jardim de Maytreia, importante ponto turístico da região. "O fogo atravessou a rodovia GO-239, que liga Alto Paraíso a São Jorge, provocando problemas de visibilidade e colocando a vida dos motoristas em risco", lamentou o ICMBio.
 

Indícios de crime

Fernando Tatagiba, que é chefe do Parque Nacional, afirmou, em entrevista ao Correio na tarde deste domingo (23/10), que viu com tristeza o avanço do fogo no ponto turístico conhecido como Jardim de Maytreia, "uma das áreas mais bonitas da Chapada dos Veadeiros", segundo ele. "Está tudo queimando e a gente ainda não tem previsão de quando vamos conseguir apagar o fogo”, completa.
 
Isabel Figueiredo/Divulgação
Para Fernando, não há dúvidas de que se trata de um incêndio criminoso. “Alguém colocou fogo na vegetação dos dois lados da rodovia GO-118 e no interior de um aceiro, uma área desmatada que serve justamente como medida de prevenção de incêndios. Certamente se trata de uma pessoa que conhece a região e a nossa dinâmica de combate às chamas”, relata. As condições climáticas dificultam ainda mais a batalha. “O vento sopra no sentido leste-oeste e joga o fogo justamente na direção do Parque. O período de seca e o acúmulo de combustível na vegetação também não ajudam.”
 
O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está fechado até segunda ordem. As chamas também atravessaram a rodovia GO-239, que liga Alto Paraíso a São Jorge. Os motoristas que passarem próximo ao local devem manter atenção redobrada.  
 
Com informações de Álef Calado (Especial para o Correio
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
FERNANDO
FERNANDO - 23 de Outubro às 14:55
onde estão as autoridades para autorizar outro meios para combater o fogo? ou depois que queimar tudo vão para os noticiários.