Polícia investiga agressão a idoso em cartório da Asa Sul

O idoso, que sofre com sequelas de um AVC, chegou a cair no chão devido a força do soco que teria levado do agressor, que é funcionário do local

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/11/2017 13:06 / atualizado em 06/11/2017 12:37

Reprodução/Facebook
Um homem de 65 anos foi agredido por um funcionário do 2º Ofício de Registro Civil, Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas de Brasília, na 504 Sul. Na sexta-feira (3/11), a vítima, Domingos da Paixão Reis, entrou no cartório para usar o banheiro. Segundo o boletim de ocorrência, ele teria discutido com um funcionário que tentou retirá-lo do local, e foi repreendido com um soco no rosto. O caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul).


Em depoimento à polícia, testemunhas afirmam que um funcionário do cartório pediu para que Domingos saísse do local. O idoso pegou um copo d’água e foi acompanhado até a porta, mas, em certo momento durante o percurso, teria derramado um pouco do líquido no chão. O funcionário o repreendeu, e ambos começaram uma discussão. Já do lado de fora, Domingos teria jogado água na camisa do homem, que o agrediu com um soco no rosto. 

O idoso caiu, devido a força do golpe, e começou a sangrar bastante. Neste momento, pessoas que passavam pelo local prestaram socorro a Domingos e tentaram impedir que o funcionário fugisse. O agressor teria saído pela porta dos fundos e ido à 1ª DP, onde registrou um boletim dizendo que Domingos era um morador de rua que o deu uma cotovelada e ameaçou dar-lhe uma facada. 

A advogada Alinne Marques estava no local e prestou socorro à vítima. "Não vi o momento da agressão. Ouvi a movimentação e avistei o senhor Domingos coberto de sangue, enquanto o funcionário que o agrediu corria para o lado de trás do cartório, sem prestar socorro", afirma. Segundo ela, testemunhas chamaram a gerência do cartório para reivindicar providências, mas só conseguiram ajuda quando a supervisora do local chegou. “O cartório abandonou a vítima sangrando, quase desmaiado sem prestar o mínimo assistência, enquanto o agressor fugiu para a delegacia para contar uma versão, se fazendo de vítima”, conta. 

Alinne acompanhou o idoso até o Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), onde ele passou pelo oftalmologista, neurologista e clínico geral, mas os ferimentos foram apenas externos. Eles ainda foram ao Instituto Médico Legal (IML) e à delegacia prestar ocorrência. "Fizemos ainda uma denúncia ao Ministério Público e acionamos a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal. O estatuto do idoso é muito claro. Eles não podem fazer o que fizeram com alguém que simplesmente pediu para usar o banheiro”, diz.

Pacífico e extrovertido 

 
 
 
Pelas redes sociais, Alinne divulgou fotos e vídeos do ocorrido. O irmão da vítima, Vicente Reis, de 55 anos, viu a publicação e ficou desesperado com o estado do irmão. “Ele é uma pessoa pacífica e extrovertida. Saiu de casa para tirar o extrato do PIS, e só fomos informados da agressão pelas redes sociais”, conta. Segundo os familiares, Domingos é uma pessoa pacífica e não teria ameaçado o funcionário do cartório.

Aos 20 anos de idade, Domingos sofreu um acidente de ônibus e ficou em coma por três meses. Há dois anos, teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e devido às sequelas, causadas pelos dois episódios, apresenta perdas de memória. "Ele é bem esquecido, às vezes confunde o passado com o presente. Mora no P Sul com a nossa irmã, que cuida dele. Agora ele está melhor, mas no dia ficou muito triste e sem entender porque havia apanhado", conta o irmão. 

O Correio tentou entrar em contato com o funcionário acusado pela agressão, que esteve com o celular desligado. A 1ª DP ouviu quatro testemunhas que presenciaram a ação e solicitou as imagens das cinco câmeras do circuito interno de segurança do cartório para dar continuidade à investigação. 

Resposta

Em nota, o 2° Ofício de Registro Civil, Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas de Brasília informou que afastou do trabalho o funcionário envolvido no caso devido à conduta imprópria. O órgão também disse que já procurou Domingos e que está à disposição para prestar todo o auxílio necessário.  
 
No texto, o cartório também afirmou que "toda e qualquer pessoa pode adentrar a seu espaço para usar banheiro e tomar água, como de fato acontece diariamente. Pedimos apenas respeito aos demais frequentadores do local, como funcionários e clientes". Porém, o órgão também disse que isso não justifica nenhuma agressão.  
 


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Tânia
Tânia - 07 de Novembro às 10:04
Viver está complicado nessa Selva de Pedra que se tornou o ser humano.
 
Adeilsa
Adeilsa - 06 de Novembro às 09:54
É difícil ser velho neste país.
 
Tolerancia
Tolerancia - 06 de Novembro às 09:19
Por ser Morador de Rua, sujo ou Limpo, o IDOSO não DEVE NUNCA ser AGREDIDO seja CULPADO ou não. A pessoa já passou por muita coisa na vida e ainda é agredido por um IDIOTA? Faça me o favor .