Adolescente é acusado de vender atestados médicos falsos em Ceilândia

O jovem tem 17 anos e negou as acusações. Ele foi apreendido na noite da terça-feira pela PMDF e encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2017 15:30 / atualizado em 08/11/2017 15:38

PMDF/Divulgação

 
Um adolescente de 17 anos é acusado de comercializar atestados médicos falsos da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Na noite da terça-feira (07/11), após denúncia anônima, uma equipe da Polícia Militar localizou o menor na estação de metrô de Ceilândia Sul portando um talão que continha 25 atestados falsificados. 

Ele foi apreendido e encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente II, em Taguatinga, para prestar esclarecimentos. Em depoimento à Polícia Civil, o jovem negou as acusações e contou que estava no local apenas para fazer a entrega dos atestados para outras pessoas. A PCDF não informou quem são as pessoas. 

Consequências graves


De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, a apresentação de atestado médico falso configura infração contratual grave e é motivo para a demissão por justa causa. O Código Penal também prevê pena de até seis anos de reclusão para quem comete crime de falsidade ideológica e de falsificação de documento.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.