Lei que torna todos os assentos de coletivos preferenciais passa a valer

A norma foi publicada no Diário Oficial do DF em setembro deste ano e entrou em vigor nesta quarta-feira (8/11)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2017 12:33 / atualizado em 08/11/2017 12:53

Antonio Cunha/CB/D.A Press

 

A partir desta quarta-feira (8/11), passa a valer a nova legislação que torna preferenciais todos os assentos no metrô e nos ônibus do Distrito Federal. Isso significa que passageiros idosos (a partir de 60 anos), gestantes e passageiros com crianças de colo, ou com deficiência e mobilidade reduzida têm prioridade para ocupar os bancos nos coletivos. A norma foi publicada no Diário Oficial do DF em setembro deste ano

 

Leia as últimas notícias de Cidades

 

A Companhia Metropolitana do Distrito Federal (Metrô-DF) explica que vai passar a informar os usuários sobre a mudança por meio de sistemas de som nas estações e nos trens. Em nota, a companhia também disse que os televisores localizados no interior dos vagões também trarão a mensagem. Além disso, adesivos serão fixados em todos assentos. A instalação já começa nesta semana. 

 

O Transporte Urbano do DF (DFTrans) explicou que a informação está sendo veiculada nos totens da Rodoviária do Plano Piloto e nos televisores que estão dentro dos ônibus. Além disso, adesivos colados nos veículos também alertam os usuários sobre o início da vigência da medida. 

 

Conscientização dos passageiros

 

 

Segundo o deputado Cristiano Araújo (PSD), autor do texto, o projeto partiu de uma demanda da sociedade e visa contribuir no processo educacional da população. "Quem utiliza o transporte público muitas vezes se depara com uma pessoa mais jovem ocupando um assento e, por não ter mais nenhum preferencial disponível, um idoso ou uma gestante ficam em pé. Em outros locais, já é cultural se dar preferência nesses casos", disse. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Wilson
Wilson - 08 de Novembro às 19:04
Uma modesta opinião, de tantos especiais, em todo o lugar só há mais vagas para especiais. Por isso opino que deve ser incluso na lei também como especial e com direito a assento o transporte de deputados distritais, e por consequencia para efetivamente aplicar a norma, eliminar o transporte dos deputados por veiculo, assim teriam mais proximidade com o povo e seriam mais notados pois os poucos que viajariam sentados. Que tal?
 
Horst
Horst - 08 de Novembro às 16:36
Esta nova lei irá democratizar mais os assentos dos ônibus e trens não só para idosos, gestantes e deficientes, como também a todos os demais passageiros.