Jornal Correio Braziliense

Pais perdem a guarda de bebê sequestrado em junho dentro do Hran

A criança foi levada na terça-feira (7/11) para um abrigo em Taguatinga por determinação da Vara da Infância e Juventude. Motivo seria a vulnerabilidade social da família

Deborah Fortuna - Especial para o Correio

- Foto: Matheus Oliveira/Agência Saúde-DF

 

O bebê sequestrado dentro do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em junho deste ano, foi mais uma vez separado dos pais, mas, desta vez, por determinação da Justiça. O garoto foi retirado da guarda dos pais e levado para uma instituição em Taguatinga Norte.

 

O processo estava correndo havia cerca de 10 dias e, na última terça-feira (7/11), os servidores da Vara da Infância e Juventude (VIJ) retiraram a criança. A causa da perda da guarda seria a vulnerabilidade da família. A avó paterna do bebê manifestou interesse em ficar com a guarda.

 

Leia últimas notícias de Cidades

 

O rapto do bebê comoveu a população de Brasília. A criança e a mãe receberiam alta no dia seguinte. Elas estavam internadas havia algumas semanas depois de um parto delicado em um posto de saúde da Estrutural.

 

O caso também mobilizou equipes da Polícia Civil, que conseguiram identificar a sequestradora — Gesianna de Oliveira Alencar, 25 anos —, prendê-la em sua casa, no Guará, e devolver a criança aos pais no dia seguinte ao sequestro, em 7 de junho. Várias pessoas se mobilizaram para ajudar a família com doações de roupas, móveis e alimentos.

 

Em setembro, o juiz titular da 8ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do DF converteu a pena de Geisianna de dois anos de prisão para pagamento de multas e penas alternativas, como, por exemplo, prestação de serviços comunitários ou doação de cestas básicas.