Por causa da forte neblina, aeroporto de Brasília opera por instrumentos

O mau tempo obrigou o Aeroporto Internacional de Brasília a acionar equipamentos para facilitar pousos e decolagens desde ontem. Não há registros de atrasos ou cancelamentos dos voos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2017 09:11 / atualizado em 09/11/2017 13:41

Breno Fortes/CB/D.A Press - 25/01/2017

O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek está operando por instrumentos desde a noite dessa quarta-feira (8/11), por conta do tempo fechado no Distrito Federal. A Inframerica, empresa que administra os terminais, informou que não houve atrasos e nem cancelamentos de voos e que esse modo de operação não afeta o tráfego de aeronaves.

 

Leia mais notícias em Cidades 

 

O sistema de pouso por instrumento é necessário quando a visibilidade nas pistas de pouso está reduzida e equipamentos são acionados para possibilitar a circulação de aeronaves. As poucas restrições são para aviões de pequeno porte ou que não possuam instrumentos compatíveis, que ficam impedidos de circular nas pistas.

 

Por volta de 12h30, o Aeroporto voltou a operar em modo visual e os passageiros não enfrentaram problemas nos embarques em decorrência do mau tempo.

 

Chuvas

 

Desde o início da semana, as chuvas voltaram à capital. Na madrugada de ontem, um forte temporal provocou alagamentos, quedas de árvores, falta de energia e danos a casas. Pelo menos cinco regiões do DF sofreram os prejuízos da tempestade. Em apenas uma hora choveu no Plano Piloto o que era esperado para três dias. Foram 24mm. Em algumas regiões, os ventos chegaram a 57km/h. Em todo o DF, até ontem, choveu 30% do esperado para todo o mês: 69,5mm. A média de novembro é de 231mm.

 

Hoje, o clima continua fechado e instável. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é de que haja novos temporais no fim de semana. Em entrevista ao Correio, o meteorologista Mamedes Luiz Melo explicou como se formam os temporais. "Ao longo da estação chuvosa, é comum haver pausas de um ou dois dias. Como a umidade relativa do ar está alta, ocorre a formação de nuvens. Os temporais dependem de uma série de variantes. A tempestade da madrugada de quarta-feira ocorreu por causa de uma área de instabilidade no norte de Goiás e sul de Tocantins. Os ventos trouxeram as nuvens carregadas para cá".

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.