Metroviários se reúnem com governo para discutir a greve geral

Todas as estações de metrô foram fechadas no começo da tarde. Trens estão circulando com frota reduzida. Categoria reivindica negociação salarial

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2017 12:59 / atualizado em 09/11/2017 13:07

Todas as estações de metrô do Distrito Federal foram fechadas a partir das 12h desta quinta-feira (9/11). Os metroviários devem se reunir, em frente ao Palácio do Buriti, onde haverá uma reunião com representantes do Executivo local e com a Secretaria da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais, a partir das 14h30. O objetivo é decidir os próximos passos da paralisação.

 

Leia últimas notícias de Cidades

 

Durante a manhã, algumas estações ficaram fechadas, como foi o caso da Guariroba, em Ceilândia. Os funcionários estavam sugerindo que os passageiros buscassem outras estações na região. Os trens estavam funcionando com frota reduzida ao longo da manhã.

 

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Metroviários do DF (Sindmeto), os carros estavam sendo pilotados por pessoas da área administrativa, e não por funcionários treinados e capacitados para o trabalho, o que colocava em risco os passageiros dentro dos vagões. A Companhia do Metropolitano do DF afirmou, no entanto que, apesar de os pilotos serem da gerência, todos têm treinamento e capacitação para conduzirem os veículos, pois fazem parte da gerência de pilotos da companhia. 

 

Prejuízos para usuários

 

O fechamento relâmpago das estações de metrô afetou os usuários principalmente na Estação Central, a mais movimentada do sistema. Por volta das 12h30, o último trem deixava os passageiros no terminal. Para quem chegou ao Plano Piloto usando o metropolitano, está com a volta comprometida. Como é o caso do estagiário do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Ney Bonfim, 38 anos. "O jeito vai ser torcer para que haja metrô para voltar. Se não, vou ter que pegar ônibus, o que vai ser um caos por causa da chuva, trânsito e semáforos", disse. 

 

E não só os usuários dos trens ficaram prejudicados pelo fehcamento. Os camelôs que atuam do lado de dentro da estação ficaram isolados e não tem com trabalhar até o reestabelecimento do sistema. O Correio tentou falar com os vendedores, mas eles preferiram não dar mais detalhes por medo de represalhas. 

 

O fechamento também dificultou os usuários dos caixas eletrônicos que ficam dentro da estação. A assistente administrativa Inara Madalena, 33 anos, vai precisar procurar ou o shopping ou outro comércio para tirar dinheiro 

"É um absurdo. Por que eles não fecharam só a catraca?", indignou-se. 

 

Ainda não há previsão de retorno, porém a expectativa de alguns funcionários é que o sistema seja reestabelecido às 16h.  

Reivindicação do sindicato por direitos

 

A categoria reivindica a convocação dos aprovados no último concurso e a data-base, segundo acordo firmado em 2015. Na ocasião, o GDF se comprometeu a implementar reajuste salarial de 8,4% conforme Índice de Preço ao Consumidor (INPC) e a convocar 320 novos servidores para posse e mais 301 para formação de cadastro reserva, assim que o DF saísse do Limite Prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. O fato aconteceu no dia 29 de setembro, mas o acordo não foi cumprido.  

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.