Prazo para atualização cadastral na Codhab é prorrogado até janeiro

A prorrogação só é válida para pessoas que deram início ao processo até 31 de julho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2017 13:30 / atualizado em 09/11/2017 15:10

Nilson Carvalho/Agência Brasília

 
Interessados em participar do programa habitacional do Distrito Federal devem ficar atentos aos novos prazos. A Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) reabrirá, nesta sexta-feira (10/11), o período para que os candidatos finalizem a atualização cadastral. A medida foi tomada pela pasta porque vários candidatos iniciaram o processo de atualização, mas não concluíram.

A prorrogação só é válida para pessoas que deram início ao processo até 31 de julho deste ano. Agora, a atualização dos documentos pode ser feita até 10 de janeiro de 2018. O diretor imobiliário da Codhab, Jorge Gutierrez, apontou que, volta e meia, candidatos esquecem de concluir o procedimento. "Os participantes têm de ficar atentos a todos os passos, principalmente, na finalização. Parece besteira, mas muitos esquecem de apertar o botão "finalizar atualização cadastral", que conclui o processo, gera a confirmação enviada por e-mail e uma notificação no próprio aplicativo”, afirma.

A atualização pode ser feita pelo aplicativo da Codhab ou pelo site da Companhia. Aqueles que tiverem dúvidas, podem procurar ajuda junto aos postos de assistência técnica e no Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto. 

Segundo o órgão, o procedimento de atualização iniciado em 3 de abril e, que seria concluído em 31 de julho, tem como objetivo corrigir infrações, além de dar mais transparência à relação de candidatos à moradia no DF. O recadastramento é uma exigência do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, que assinou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto a Companhia. 

Fique atento  

O que: atualização cadastral da Codhab

Quando: até 10 de janeiro de 2018

Onde: www.codhab.df.gov.br  

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.