Metrô funciona hoje apenas nos horários de pico, com 20 trens

Apenas duas estações ficam sem embarque, Guariroba e Asa Sul. Metroviários se reuniram ontem, mas decidiram manter a greve por falta de acordo com o governo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/11/2017 06:36 / atualizado em 10/11/2017 07:12

Minervino Junior/CB/D.A Press

 
Os portões das 22 estações da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) abriram por volta das 6h10 desta sexta-feira (10/11). Segundo o órgão, 20 trens devem circular apenas nos horários de pico. Pela manhã, o sistema segue funcionando até às 10h. À tarde, o metrô volta a funcionar a partir das 16h30 e os funcionários param as operações às 20h30.
 

Apenas duas estações ficam sem embarque, Guariroba e Asa Sul. A escala segue quase o mesmo padrão dessa quinta-feira (9/11), no primeiro dia da greve geral da categoria, que afetou ao menos 50 mil pessoas. Embora o  Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários (SindMetrô) tenha decidido por paralisação de 100%, o sistema tem funcionado mesmo com o quadro de trabalhadores reduzido. 

A greve geral dos metroviários é para exigir a convocação dos aprovados no último concurso e a data-base, segundo acordo firmado em 2015. Na ocasião, o governo local se comprometeu a implementar reajuste salarial de 8,4% conforme Índice de Preço ao Consumidor (INPC) e a convocar 320 novos servidores para posse e mais 301 para formação de cadastro reserva, assim que o DF saísse do Limite Prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. O fato aconteceu no dia 29 de setembro, mas o acordo não foi cumprido.

Ontem, depois de uma reunião entre representantes do sindicato e o subsecretário de Relações do Trabalho e do Terceiro Setor, Márcio Gimene, a categoria optou por manter o movimento. O governo prometeu solicitar uma nova reunião, mas ainda não há data prevista. O Metrô-DF transporta 170 mil pessoas por dia e liga Ceilândia, Taguatinga, Samambaia e Águas Claras ao Plano Piloto.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.