Passageiros encontram portas fechadas do Metrô neste sábado

Apesar do aviso prévio, greve dos metroviários dificulta deslocamento de usuários de transporte público durante a manhã

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/11/2017 12:14 / atualizado em 11/11/2017 12:35

Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press

Mesmo com o aviso prévio de que os portões do Metrô não iriam funcionar neste sábado (11/10), houve passageiro que encontrou as portas fechadas em 24 estações do Distrito Federal. O terceiro dia da greve dos metroviários dificultou o deslocamento dos usuários de transporte público, tanto para quem queria aproveitar o fim de semana quanto para quem necessita trabalhar. Por medida judicial, os trens devem funcionar na manhã de domingo (12/11), integralmente, por causa do Exame Nacional do Ensino Médio


O atendente de padaria Luís Henrique Borges, 22 anos, que estava na Estação Shopping, saiu logo cedo de Valparaíso, em Goiás, com destino ao Metrô de Águas Claras, onde mora e trabalha. "Como ontem abriu em horário de pico, acreditei que as estações poderiam ficar abertas hoje", conta. 

Já para o pequeno Eduardo Soares, 4 anos, o que seria um passeio de sábado transformou-se em uma frustração. A avó da criança, a diarista Carla Tavares, 49 anos, desejava levar o neto para andar de Metrô, pois ele gosta bastante. “Agora, vou ter que levá-lo para passear de ônibus. Felizmente ele gosta do mesmo jeito”, explicou Carla. 

Sem Acordo


Em audiência para conciliação ocorrida na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, na tarde desta sexta-feira (10/11), representantes do Metrô e do Sindicato dos Metroviários não conseguiram chegar em um acordo diante das reivindicações da greve, iniciada na última quinta-feira

Diante do impasse, a previsão é de que a greve continue por tempo indeterminado. A categoria reivindica a contratação urgente dos mais de 600 selecionados dentro das vagas e em cadastro reserva em concurso promovido em 2014. Além disso, cobram o reajuste salarial referente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 8,41%, atrasado desde 2015. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.