Em 12 dias, quantidade de chuva é mais da metade da média do mês

Com aumento das chuvas, é possível que o DF feche o ano dentro da média histórica de chuvas, apesar da estiagem observada em outubro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/11/2017 09:09 / atualizado em 12/11/2017 12:28

Luís Nova/ Esp. CB Press


As precipitações do mês de novembro chegaram à marca de 124mm, mais da metade da média que costuma ser registrada para todo o mês de novembro, que é de 231mm. Segundo o meteorologista Hamilton Carvalho, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), apesar das poucas chuvas de outubro, ainda há chances de os brasilienses fecharem o ano dentro da média. "Choveu muito pouco em outubro, 33,2mm, para uma média de 166,6mm, mas novembro e dezembro são meses com bastante chuva. É possível recuperar", declara. 
 
 
O tempo nublado marcou a manhã de domingo, que, além de nublada, registrou mínima de 18 ºC. A máxima prevista é de 27 ºC, no meio da tarde. A umidade relativa do ar, que subiu consideravelmente com a chegada das águas, fica entre 95% e 55%. 

"Para os próximos dias, a previsão é que os dias fiquem de encobertos a nublados, com pancadas de chuva esparsas", explica Carvalho. Segundo ele, a tendência neste período é que as precipitações aumentem gradualmente. "Novembro, dezembro e janeiro são meses com os maiores níveis de chuva", revela. 

Para segunda, as temperaturas se mantêm entre 19ºC e 29ºC, com umidade entre 90% e 47%. Terça e quarta-feiras prometem dias de encobertos a nublados com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. 


Estiagem prolongada


Hamilton Carvalho afirma que um dos fatores para a crise hídrica tão severa que a capital enfrenta é o longo período de estiagem que a capital vive. O meteorologista, que trabalha ha 36 anos no Inmet, afirma: "O clima tem um padrão médio, mas há ciclos. Brasília ainda é muito nova, são apenas 60 anos de estudos, mas essas variações podem acontecer", pondera. 

Ele ainda ressalta que, nos últimos três anos, 2014, 2015 e 2016, os níveis das chuvas ficaram abaixo da média. "A soma de três anos de estiagem ajuda a agravar a situação, mas não é a única causa", explica, antes de concluir: "Ainda podemos ter um ano normal. A média de novembro está alta e a tendência é que as chuvas aumentem". 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.