Homem morre depois de passar mal ao volante e bater carro

O acidente aconteceu no Setor de Indústrias Gráficas, por volta das 17h20. No mesmo horário, um engavetamento prejudicou o trânsito na EPTG

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2017 18:36 / atualizado em 14/11/2017 20:36

Ed Alves/CB/D.A Press
Um homem de 60 anos morreu depois de passar mal ao volante e bater o carro em um poste, na altura da Quadra 6, no Setor de Indústrias Gráficas, sentido Eixo Monumental. O acidente aconteceu por volta das 17h20 e, com a batida, o carro parou em cima do canteiro, virado para o lado contrário da via.

 

Leia mais notícias em Cidades

 

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), quando os militares chegaram ao local, a vítima estava em parada cardiorespiratória. A equipe realizou procedimento de reanimação por aproximadamente 55 minutos, mas o homem veio a óbito no local. 

 

Duas viaturas e 8 bombeiros atuaram no socorro. A faixa da esquerda precisou ser fechada para o atendimento, gerando engarrafamento próximo ao local do acidente. A cena ficou aos cuidados da Polícia Militar, aguardando a perícia e a remoção do corpo. 

 

Mais acidente 

 

Um engavetamento de 5 carros, por volta das 17h, causou ainda mais congestionamento na EPTG, próximo ao viaduto de acesso ao Guará I, sentido Taguatinga. Uma motorista se distraiu e acabou batendo em outro carro. O trânsito já estava intenso e com o impacto foram atingidos outros 3 veículos , que deixaram o local logo após a batida. Ninguém se feriu.

 

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
A pista da esquerda precisou ser interditada por aproximadamente 20 minutos. O Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) ficou responsável pelo local e retirou os carros da via. Somente a faixa exclusiva ficou fechada até a chegada dos guinchos, por volta das 18h. Como não houve vítimas nem prejuízo ao patrimônio público, a perícia não precisou ser acionada. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.