Transplante de coração mobiliza equipes da PM, FAB e Detran-DF

O homem que receberá o órgão é morador de Sobradinho e pediu apoio para chegar até o Instituto de Cardiologia do DF. O coração veio do Rio Janeiro (RJ)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/11/2017 19:37 / atualizado em 29/11/2017 22:18

Detran-DF

Um avião, um helicóptero e uma viatura atuaram no processo de transplante de coração nesta quarta-feira (29/11). O órgão veio do Rio de Janeiro (RJ) e o receptador é morador de Sobradinho. Logo no início da manhã, uma equipe da Polícia Militar foi mobilizada para fazer o transporte do paciente, um homem de 65 anos. O obstáculo era o trânsito intenso da BR-020 por volta as 7h. Às 14h, uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) trouxe o coração para a capital do país. Uma hora depois, outra aeronave, do Departamento de Trânsito (Detran-DF), concluiu o transporte até o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF).



Leia as últimas notícias do Distrito Federal


A equipe policial que ajudou no transporte estava iniciando o turno no Batalhão de Sobradinho quando recebeu o pedido inusitado. O cabo Cássio Lucena, que dirigiu o carro da corporação, se viu numa situação totalmente diferente. "Estamos acostumados a atender muitos casos de apreensão de arma de fogo, tráfico de drogas, furtos ou roubo. Algo dessa natureza, eu ainda não tinha presenciado. Foi totalmente diferente, estou com a sensação de dever cumprido", comentou.

 

 


O homem que recebeu o órgão foi avisado do transplante às 6h. A informação era que  ele deveria comparecer ao ICDF no prazo máximo de uma hora, para iniciar os procedimentos pré-operatórios. O homem e a mulher dele, que moram em Sobradinho 1, pediram um táxi para seguir até o hospital, mas se depararam com o intenso fluxo de carro. O casal decidiu, então, acionar a Polícia Militar para ajudar no transporte. "Quando chegamos, a esposa do paciente estava nervosa e com medo de perder o transplante. Eles contaram que aguardavam esse momento há dois anos", lembra o cabo Lucena.

O casal pediu que o transporte do paciente fosse feito com um helicoptero, mas até ser dada autorização de pouso e escolha do local para decolagem, daria o prazo para entrada no hospital. "Vimos que era uma situação complicada, que deveríamos trabalhar com o tempo e pedimos autorização à central para leva-lós até o ICDF. Conseguimos e deu tudo certo. Ele chegou a tempo para dar entrada nos procedimentos conforme a equipe médica solicitou", detalha o policial.

 

No ar


O órgão é de um doador do Rio de Janeiro (RJ), de 34 anos, e foi transportado por uma avião da FAB até a capital do país. Por aqui, o ICDF também solicitou apoio para fazer o transporte do coração. Um helicóptero do Departamento de Trânsito (Detran-DF) completou o percusso até a unidade médica. O voo da base do Aeroporto de Brasília até o hospital durou apenas três minutos.

Segundo o Detran-DF, essa é a terceira vez, nos últimos 15 dias, que a Unidade de Operações Aéreas (UOPA) do órgão é acionada pela Central de Capitação de Órgãos da Secretaria de Saúde do DF. Neste ano, são seis transportes de coração efetuados por equipes do Detran-DF.

O ICDF informou que o esforço feito pelas equipes foi suficiente para preparação do paciente. O homem está na sala de cirúrgia.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.