Veja 10 dicas de segurança para evitar assaltos e furtos no fim de ano

Com a proximidade do Natal, das festas de fim de ano e o consequente aumento do movimento no comércio, 700 policiais militares vão reforçar o patrulhamento nas ruas até 8 de janeiro para reduzir o número de crimes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/12/2017 07:55

Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press


Com a primeira parcela do 13º salário na conta, brasilienses movimentam shoppings e centros comerciais à procura do presente de Natal. Distraídos, clientes mexem no celular, abrem a bolsa em público, sacam altas quantias em dinheiro e, às vezes, carregam tantas sacolas que chamam a atenção de quem passa. Um alvo para bandidos que, no fim de ano, intensificam assaltos e furtos. Para minimizar a quantidade de crimes nesta época, a Polícia Militar colocou mais 700 homens e mulheres nas ruas para reforçar a segurança até 8 de janeiro.

Os endereços de maior vulnerabilidade são, geralmente, onde há circulação de dinheiro e movimento de pessoas em comércios. É o caso do centro da cidade, como áreas próximas à Rodoviária do Plano Piloto, Setor Comercial Sul e Norte, além dos setores de comércio em regiões administrativas, como Ceilândia e Taguatinga. Em alguns casos, segundo representantes do setor varejista, nem mesmo as câmeras de alguns estabelecimentos inibem a ação dos criminosos.
 

O Sindicato do Comércio Varejista do DF (Sindivarejista) estima que, neste fim de semana, pelo menos 600 mil pessoas passem pelas lojas de rua e de shoppings. No próximo, de 15 a 17 de dezembro, a expectativa é de 850 mil moradores do DF nos centros comerciais, seguido de 1,2 milhão em 22, 23 e 24 de dezembro. “Todo cuidado é pouco. Os criminosos sabem que o consumidor está com sua atenção voltada para vitrines. Então, eles agem sorrateiramente e muitos em dupla. O consumidor deve desconfiar sempre”, aconselhou o presidente do Sindivarejista, Edson de Castro.

Em dezembro do ano passado, cresceu em 8,5% a quantidade de roubos a pedestre em comparação com o mesmo mês do de 2015, assim como aumentaram em 14,87% os casos de assalto de veículos, furto em comércio (17,69%) e até roubo com restrição de liberdade (10,63%). A secretária Lucélia Sousa, 20 anos, teve o celular roubado no ano passado em Taguatinga. Há dois meses, na Rodoviária do Plano Piloto, quase que ela teve o novo aparelho celular levado. Ela esperava o ônibus na fila quando um homem passou e tentou puxar o celular da mão dela, mas Lucélia teve reflexo mais rápido e conseguiu segurar o telefone.

Na tarde de terça-feira, Lucélia aguardava o carro para voltar ao trabalho. Em frente a um shopping da região central, ela guardava a carteira e o celular junto ao corpo. “Nesta época do ano é perigoso. Com grande movimentação de pessoas, os mal-intencionados ficam de olho. Depois do que aconteceu sempre tomo mais cuidado”, contou.

Moradora do Cruzeiro, a esteticista Clareci dos Santos Siqueira, 77 anos, se mudou do Rio de Janeiro para Brasília em 1960. Ela lembra que, antes de se instalar oficialmente na capital, foi vítima de assalto aqui. Apesar de nunca mais ter sido rendida, ela compartilhou a sensação de insegurança. “Brasília anda muito desprovida de segurança. Temos que tomar mais cuidado na rua e até em casa. Nesta época do ano, principalmente os idosos acabam sendo visados. Ando atenta com a bolsa e as sacolas”, ressaltou.

 

Equipes em todas regiões

O Policiamento Intensivo de Natal (PIN) vai funcionar com reforço de militares nas ruas em dupla ou em trios a pé e em vans. Também haverá apoio de unidades especializadas. De segunda a quinta-feira, a segurança será intensificada com 700 militares. Durante o fim de semana, serão 830 militares. O comandante do Departamento Operacional (DOP), coronel Marcilon Back, destacou que as equipes estarão em todas as regiões do DF, do Plano Piloto até as cidades fora do centro. “Este é um período em que é necessária a intensificação do policiamento, e militares de áreas administrativas são deslocados para reforçar a segurança”, explica.

Segundo o porta-voz de comunicação da PM, major Michello Bueno, os criminosos procuram vítimas desatentas e aguardam o momento mais oportuno para agir. “Por isso é importante a pessoa sempre manter a bolsa fechada em frente ao corpo e carteira e celular no bolso da frente, além de evitar sacar grandes quantias em dinheiro”, recomenda. (Leia as Dicas para ficar alerta).

Consultor em segurança pública, o professor George Felipe Dantas ressalta que os crimes acontecem devido “ao ânimo da população em comprar presentes, além do aporte do 13º. Isso produz uma energia para que a delinquência patrimonial ocorra”, explica.

Segundo o presidente da Fecomércio-DF, Adelmir Santana, o alvo dos bandidos são produtos que podem ser comercializados ilegalmente, bem como lojas onde há mais circulação de dinheiro. Entram na mira dos assaltantes farmácias, postos de combustíveis, casas lotéricas e lojas de comércio de rua. “Eles aproveitam o movimento, o estoque abastecido e colocam em prática suas ações”, avalia.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.