Publicidade

Estado de Minas

Um ano depois, família comemora saúde de menino baleado por policial

Luís Guilherme foi baleado em 6 de janeiro do ano passado por um policial que transitava na BR-070, na altura de Cocalzinho (GO)


postado em 07/01/2018 14:20 / atualizado em 07/01/2018 17:06

Luis Guilherme, ao lado da mãe Paula Caxias e do pai Erlon Caxias(foto: Arquivo Pessoal)
Luis Guilherme, ao lado da mãe Paula Caxias e do pai Erlon Caxias (foto: Arquivo Pessoal)

Há um ano, uma família que transitava em um carro na BR-070, altura do município de Cocalzinho (GO) viveu momentos de angústia. O pai dirigia o carro, a mãe estava no banco de passageiro, e na parte de trás, o pequeno Luís Guilherme. Um policial civil que passava em outro veículo ao lado, atirou ao menos três vezes contra o carro da família. O menino foi atingido, ficou entre a vida e a morte, passou por diversas cirurgias, e depois de muita luta teve alta. Um ano depois, Paula Caxias, mãe do pequeno, celebra a vida do filho. "Deus em seu infinito amor e misericórdia operou um milagre na vida do meu filho, e o dia mais angustiante se transformou num dia de milagre e nós fomos abençoados com vida", declarou.

Leia as últimas notícias do Distrito Federal

A mãe que viveu quase três meses de idas e vindas para hospital, chorando e orando pela melhora do filho publicou o depoimento nas redes sociais. O relato marca um ano da fato vivido, em 6 de janeiro do ano passado. O caso causou comoção no Distrito Federal e Entorno. Luís Guilherme, agora com 7 anos, foi atingido pelas costas, do lado esquerdo. O projétil quebrou duas costelas, machucou o pulmão esquerdo, entrou no coração e ficou alojado no pulmão direito - Por isso, ele passou por três cirúrgias e ficou quase três meses internado. "Há exatamente 1 ano, eu vivia o momento mais angustiante da minha vida. Mas não estive só", lembra Paula, em um trecho da postagem.

O crime transformou a vida da família. Mudaram de casa para facilitar a locomoção do menino, e o dinheiro da venda da residência, que seria usado para comprar outro imóvel, serviu paraarcar com os custos do tratamento, cirurgias e internação. Na época, para se recuperar, Luís Guilherme se inspirou no Homem de Ferro, interpretado no cinema pelo ator Robert Downey Jr. Por isso, o quarto onde ele ficou internado no hospital Santa Helena - que passou a ser sua casa temporária, foi decorado os desenhos do personagem. 

Passados 365 dias, a mãe, Paula Caxias, e o pai dele, Erlon Caxias, celebram a vida nova do filho. "Hoje, quero agradecer a você que esteve comigo e com minha família nos ajudando a passar por tudo aquilo. Muito obrigada por ter dividido conosco amor e fé. Que nós sejamos um espelho, para devolver todo amor que de alguma forma você dedicou à meu filho" agradecem.

Julgamento


Silvio Moreira Rosa que atirou contra o carro da família, fugiu em direção a Águas Lindas (GO), mas acabou preso em seguida. O policial civil lotado no DF alegou que atirou porque acreditava se tratar de um assalto. Ele chegou a ser preso na Divisão Estadual de Investigações de Homicídios, em Goiânia, mas foi solto em setembro passado. 

O policial aguarda o julgamento em júri popular, no Tribunal de Cocalzinho (GO) pelo crime de tripla tentativa de homicídio. No momento, a Justiça ainda espera ouvir um dos policiais de Águas Lindas de Goiás (GO), que atendeu a ocorrência.

Leia o depoimento na íntegra:


"Há exatamente 1 ano, eu vivia o momento mais angustiante da minha vida. Mas não estive só. Deus em seu infinito amor e misericórdia operou um milagre na vida do meu filho, e o dia mais angustiante se transformou num dia de milagre e nós fomos abençoados com vida! Muito Obrigada por ter dividido conosco amor e fé. Que nós sejamos um espelho, para devolver todo amor que de alguma forma você dedicou à meu filho.

A você, de todo coração. Nosso Eterno Obrigada!"


Luís Guilherme, Paula e Erlon

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade