Publicidade

Estado de Minas

Jovem de 18 anos morre baleada ao jogar roleta-russa no Gama

De acordo com informações da Polícia Militar, a vítima, o autor e mais uma pessoa participavam do jogo. Eles chegaram a deixar a jovem no hospital, mas ela não resistiu aos ferimentos


postado em 09/01/2018 09:16 / atualizado em 09/01/2018 13:34

Moradores da região que presenciaram o trio deixar a jovem, ainda ferida, no HRG, chamaram a polícia. Depois de abandonar a garota, acusados saíram em disparada em um veículo(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
Moradores da região que presenciaram o trio deixar a jovem, ainda ferida, no HRG, chamaram a polícia. Depois de abandonar a garota, acusados saíram em disparada em um veículo (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
Uma jovem de 18 anos morreu baleada na cabeça na madrugada desta terça-feira (9/1), no Gama. Segundo informações preliminares da Polícia Militar, o autor do disparo, a vítima e outro homem participavam de um jogo conhecido como roleta-russa dentro de um carro. Ainda de acordo com a corporação, o acusado de atirar era o namorado da moça.

Moradores da região acionaram a PM ao ver o veículo, um Fiat Palio Branco, deixar a vítima no Hospital Regional do Gama (HRG) e sair em disparada. Ela chegou a ser atendida na unidade, mas não resistiu ao ferimento. Até o momento, não se sabe a identidade da jovem.
 
A polícia não informou se a vítima chegou ao hospital consciente e se conseguiu, sozinha, pedir por ajuda. Até o momento, não há informações sobre o socorro no local. 
 
Após buscas, a polícia localizou o carro em Santa Maria. Os dois suspeitos de participar da roleta-russa estavam dentro do veículo, que tinha manchas de sangue.

Os policiais detiveram o suspeito de efetuar os disparos, de 27 anos, e o outro homem que também estaria no carro. O motorista, um jovem de 20 anos, confessou aos policiais que levaria o autor do disparo a Valparaíso de Goiás para que ele fugisse.

A PM disse, ainda, que havia uma quarta pessoa dentro do carro. Porém, os militares o liberaram por não encontrar relação entre esse outro ocupante e o crime.

Na casa do motorista, a polícia encontrou munição dos calibres 347, .40 — ambas de uso exclusivo da polícia — e .32. A arma usada no crime, porém, não foi localizada.

Havia também, segundo a polícia, um carregador de armas. Os policiais apreenderam 9,9 gramas de maconha, além de uma pequena plantação para cultivo da droga.

Os dois acusados estão detidos na sede Departamento de Polícia Especializada (DPE). O caso está sob investigação da 20ª Delegacia de Polícia (Gama), que, na ocorrência, não deu outros detalhes do crime. A dupla deve responder por homicídio, favorecimento pessoal, posse de arma e tráfico de drogas.
 

Jogo de azar que termina em morte

 
Ilustração mostra como a bala fica posicionada em apenas uma das câmaras do tambor de um revólver no jogo. No caso ilustrado, há uma chance em seis de a arma disparar(foto: Arte: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
Ilustração mostra como a bala fica posicionada em apenas uma das câmaras do tambor de um revólver no jogo. No caso ilustrado, há uma chance em seis de a arma disparar (foto: Arte: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
A brincadeira que vitimou a jovem de 18 anos consiste em colocar apenas uma bala na câmara de um revólver e, depois, girar o tambor para esconder o projétil. Depois, puxa-se o gatilho. Somente se a bala estiver na câmara engatilhada, haverá o disparo.
 
Em 2010, o Tribunal de Justiça do Mato Grosso (TJMT) enquadrou o jogo como qualificante de homicídio em um julgamento de um acusado de matar outra pessoa durante a roleta-russa. A 2ª Câmara Criminal da Corte entendeu que há tortura no jogo.
 
Além disso, a Justiça pode considerar roleta-russa uma das formas de indução ou auxílio ao suicídio. A pena pode chegar a seis anos de prisão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade