Polícia divulga novo vídeo que mostra fuga do suspeito do crime na 408 Sul

Apesar das novas imagens, o autor da tentativa de latrocínio ainda não foi identificado. Vítima não conseguiu fazer o retrato falado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/01/2018 13:07 / atualizado em 12/01/2018 15:31

Reprodução

 
A equipe da Polícia Civil que investiga a tentativa de latrocínio na 408 Sul divulgou um novo vídeo em que o autor dos diparos aparece fugindo da cena do crime. As imagens mostram o homem correndo após ter atirado contra Ieda Maria Neiva Rizzo, 54 anos.
 
O crime ocorreu na noite da última segunda-feira (8/1), quando ela saía do apartamento do namorado. Apesar de a investigação não ter mais dúvidas de que o homem nas imagens é o autor do crime, os agentes ainda não conseguiram indentificá-lo. 
 
 
  
Segundo o delegado-adjunto da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), Ataliba Neto, havia a expectativa de que a vítima pudesse fazer um retrato falado do bandido. No entanto, ao ser ouvida no hospital onde está internada, na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), na noite de quarta-feira, Ieda disse não conseguir fazer a descrição.
 
 
A polícia já divulgou outros vídeos (veja abaixo), mas em nenhum deles o rosto do criminoso aparece de forma a premitir a identificação, afirma Neto. "Por isso, a gente insiste (apoio) pelo disque denúncia para que possamos chegar nele o mais rápido possível e solicitar a prisão ao poder judiciário", ressalta o delegado.  

 
Como foi o crime 

 
No depoimento que deu na quarta-feira, Ieda contou que, após sair da casa do namorado e chegar ao estacionamento, avistou o suspeito e sentiu que "alguma coisa de ruim pudesse acontecer". Ela, então, caminhou mais rapidamente para o carro e percebeu que o criminoso continuava vindo em sua direção. "Ela abriu o carro e tentou fechar a porta. Antes que conseguisse trancar, o cara abriu o lado do motorista e, nessa hora, teria pedido para ela passar para o lado do passageiro", conta Neto.

Ainda de acordo com o delegado, Ieda ainda se mostra um pouco confusa com o que aconteceu. Em sua percepção, o tiro que levou foi disparado assim que ela ficou de pé fora do carro. Mas Neto observa que, pelas imagens das câmaras de segurança, é possível ver que os dois caminharam até, aproximadamente, o meio do estacionamento e, só então, o disparo aconteceu. 

"Ela achou que ele foi muito cruel e que não teria a necessidade de atirar, pois tinha deixado no carro a bolsa, o celular e a chave ", conta o responsável pela investigação. Ieda contou ainda que gritou antes e depois do tiro. "Acreditamos que ela teria começado a gritar por socorro e que, por isso, ele efetuou o disparo", diz Neto. Por conta do ferimento no peito, Ieda precisou passar por cirurgia para colocar um dreno do pulmão e retirar resquícios de pólvora e do projétil. Ela recebeu seis bolsas de sangue.

 
Polícia descarta tentativa de estupro 

 

Durante o depoimento, a mulher pediu por justiça várias vezes. "Nosso esforços são nesse sentido. Estamos fazendo o máximo para chegar à autoria", assegurou o delegado, voltando a afirmar que o crime não se configura como tentativa de estupro. "Não teve tentativa de estupro, pois não ocorreu nenhum ato executório do crime que teria sido interrompido por circunstâncias alheias à vontade do agente", argumenta. 
 
 
 
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.