Publicidade

Estado de Minas

Mulher que jogou cachorro em bueiro responderá por crime ambiental

Jovem de 21 anos responderá por crime ambiental por ter jogado um cachorro dentro de bueiro no bairro Pedregal, no Novo Gama. Vídeo do flagrante circulou nas redes sociais. Segundo a família, o animal teria arranhado a filha da acusada, de 1 ano e 3 meses


postado em 18/01/2018 06:00

Após o episódio, o cachorro agredido ficou conhecido na vizinhança como Celebridade: sem ferimentos (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
Após o episódio, o cachorro agredido ficou conhecido na vizinhança como Celebridade: sem ferimentos (foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)


A jovem de 21 anos flagrada ao jogar um cachorro em bueiro no Pedregal, bairro do Novo Gama (GO), será indiciada por crime ambiental. Segundo um familiar, a acusada tomou essa atitude na última terça-feira, após o animal arranhar a filha dela, de 1 ano e 3 meses, no braço e na perna. “Ela ganhou o cachorro de um tio no sábado. Ele sempre foi manso, não sei por que fez isso com a menina. Ela está arrependida e disse que agiu por ‘instinto materno’”, contou a parente, que preferiu não ser identificada.


Toda a cena foi filmada e ganhou as redes sociais. No vídeo, a jovem caminha em uma rua de terra batida, segurando o cão na altura do pescoço. Ela se aproxima do bueiro, com aparente tranquilidade, e solta o bicho lá dentro. De acordo com a familiar, após o episódio, tanto a agressora quanto os parentes foram ameaçados. Alguns vizinhos ainda teriam inventado versões para a história. Uma delas é de que a jovem jogou Celebridade, como o cachorro é chamado agora, por cima do muro de uma casa e, com a queda, teria morrido. “A mãe dela decidiu adotar o animal. Ele está bem e será cuidado”, afirma.

 

Leia as últimas notícias do Distrito Federal 

  

Vizinhos contaram ao Correio que um primo mais novo da acusada pediu para conhecidos gravarem o crime. Ao notar que era filmada, ela tomou o celular e apagou os vídeos. “Mais tarde, o pai dela nos devolveu, e eu consegui recuperar um vídeo”, lembra um dos responsáveis pela filmagem. Vizinhos acrescentaram que a jovem jogou o pet três vezes no bueiro. “Eu não estava no momento em que tudo aconteceu. Quando cheguei, o cachorro estava na minha casa, e o meu genro queria ficar com ele, mas, depois, a família dela quis de volta”, disse uma moradora.


Segundo o comandante da Guarda Civil Municipal do Novo Gama, Iran Silva, o animal não se machucou com a queda no buraco. “Não sabemos quantas vezes ela jogou o animal no bueiro, mas, quando chegamos ao local, ajudamos os moradores no resgate, que foi fácil, porque o bueiro não era muito fundo”, detalhou. A reportagem não conseguiu contato com a acusada.

(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
(foto: Antonio Cunha/CB/D.A Press)

Crime

Segundo a médica veterinária Kássia Vieira, a pena da lei de crimes ambientais por maus-tratos contra animais é de 6 meses a 1 ano, mas pode ser convertida em pagamento de cesta básica ou prestação de serviços à comunidade. “Quando há maus-tratos, o primeiro passo é conversar com o dono do animal e tentar convencê-lo a doá-lo. Caso ele queira abandonar, é preciso denunciar. Quanto mais prova tiver, como fotos e vídeos, melhor”, alertou a também voluntária da Associação Protetora dos Animais do Distrito Federal (ProAnima).

 

Memória

 

Outros casos
» Em agosto de 2017, uma moradora do Guará foi denunciada por maltratar 12 cachorros, sendo duas fêmeas e 10 filhotes da raça golden-retriever. Os animais foram recolhidos pela Polícia Ambiental. A proprietária dos bichos alegou que cuidava muito bem dos animais e, por motivo de saúde, não conseguia mais limpar a casa na qual vivia com eles. A Justiça do Distrito Federal decidiu não devolver os cães à dona.

» No Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), policiais militares flagraram, em novembro do ano passado, 10 filhotes de cachorro sofrendo maus-tratos dentro de porta-malas de veículos estacionados sob o sol. O automóvel estava estacionado próximo à Feira dos Importados. A suspeita é de que os animais seriam vendidos. Apesar das más condições, os responsáveis apenas assinaram termo circunstanciado no local e ficaram com os filhotes. Eram quatro labradores, três pit-bulls e três shih-tzu.

» Em 2011, uma enfermeira de Formosa (GO) foi flagrada em um vídeo enquanto espancava um cachorro. As cenas de agressão ao yorkshire repercutiram rapidamente nas redes sociais, obrigando a mulher a mudar-se de cidade. Além do sofrimento e morte do cachorro, muita gente se indignou com o fato de que a violência foi feita em frente à filha da agressora, à época com 1 ano e 6 meses. A enfermeira foi indiciada por maus-tratos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade