Publicidade

Estado de Minas

Homem ateia fogo em casa e tenta trancar mulher e filhos no local

O caso foi registrado foi registrado na Chácara Santa Luzia, na Estrutural. As vítimas conseguiram com a ajuda da mulher, que lutou com o marido


postado em 23/01/2018 21:00 / atualizado em 23/01/2018 21:23

Depois de atear fogo na casa, o homem seguiu em fuga em um matagal da região(foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)
Depois de atear fogo na casa, o homem seguiu em fuga em um matagal da região (foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar foram acionadas para dar socorro a uma mulher e duas crianças durante incêndio em barraco na Cidade Estrutural. De acordo com informações das corporações, o marido e pai das vítimas teria sido o responsável por atear fogo no local, após uma discussão entre o casal. Ele teria espalhado álcool pela casa e ainda manteve todos presos no local. Apesar do susto, ninguém se feriu. O homem está foragido.

Leia as últimas notícias de Brasília

O incêndio teve início por volta das 13h30 desta terça-feira (23/1), no lote 16 da Quadra 8 do Setor de Chácaras Santa Luzia. Segundo a mulher, a discussão começou após o marido ter proposto que a casa da família fosse transformada em um ponto de venda de drogas. A vítima não teria concordado com a situação e, em seguida, o homem espalhou o álcool pela residência. No momento, além da mulher estavam dois filhos do casal, de 10 e 6 anos.

Segundo a PM, a mulher entrou em luta corporal com o marido e  pediu socorro aos vizinhos. O homem fugiu pela mata antes da chegada dos militares. Apesar das dificuldades de locomoção do socorro dentro da Chácara Santa Luzia, os bombeiros conseguiram controlar o incêndio e evitaram que o fogo se espalhasse para outros barracos. A preocupação é porque a maioria das casas da localidade são feitas de madeirite.

Após o socorro, os militares percorreram a região na tentativa de localizar o homem, mas ele não foi encontrado. A vítima registrou uma ocorrência na 8ª Delegacia de Polícia Civil (SIA) que investiga o caso.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade