Publicidade

Estado de Minas

Secretaria de Agricultura apreende 615kg de carne transportados em picape

Produtos eram transportados irregularmente em veículo sem equipamento de refrigeração e isolamento térmico. Alimentos seriam encaminhados para venda no Gama


postado em 24/01/2018 21:21 / atualizado em 24/01/2018 22:07

Mercadoria foi encontrada em uma Chevrolet S10 que circulava na DF-290(foto: Divulgação/Seagri)
Mercadoria foi encontrada em uma Chevrolet S10 que circulava na DF-290 (foto: Divulgação/Seagri)

A Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri) apreendeu 615 kg de carnes transportados de forma irregular na manhã desta quarta-feira (24/1). Os produtos foram encontrados durante uma fiscalização de rotina realizada na DF-290 e incluíam cortes de frango congelados e linguiças suínas e de frango. A apreensão ocorreu durante uma blitz da Diretoria de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal e Animal (Dipova) da pasta.


De acordo com a Seagri, o veículo que transportava os alimentos, uma picape Chevrolet S10, não tinha isolamento térmico nem aparelho climatizador, equipamentos necessários para o transporte desses tipos de itens. Segundo o analista de fiscalização agropecuária da Seagri, Rodrigo Oliveira, o motorista e o passageiro afirmaram que não eram proprietários das carnes e estariam apenas transportando os produtos.

"O condutor disse que a mercadoria seria direcionada a estabelecimentos comerciais na região do Gama. As entregas foram confirmadas pela fiscalização e verificamos que os produtos tinham nota fiscal, mas a vistoria dos estabelecimentos comerciais não cabe a nós. A Seagri faz a abordagem dos veículos nas estradas e na porta dos estabelecimentos, porque nossa ação é em cima dos donos das mercadorias", explica Rodrigo.

O Correio tentou contato com o frigorífico responsável pelas carnes e não teve retorno. O responsável pelos produtos responderá a um processo administrativo que será aberto pela Secretaria de Agricultura. O proprietário será autuado e o processo passará pela análise de uma comissão da pasta, que decidirá o tipo de pena aplicada. Até lá, os produtos permanecerão armazenados pela Seagri e, após o fim do trâmite processual, uma equipe técnica avaliará a qualidade dos produtos apreendidos para decidir se as carnes estarão em condições de serem doadas ou se deverão ser descartadas.

Fiscalização


Contatada, a Diretoria de Vigilância Sanitária informou, por meio de nota, que inspeciona estabelecimentos que comercializam produtos alimentícios e que realiza ações de fiscalização diariamente, além de atendimentos a denúncias em todo o Distrito Federal.
 
* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade