Publicidade

Estado de Minas

Creche Alecrim fica fechada por até 15 dias

Devido ao incêndio na manhã de ontem (7/2), a cozinha, o refeitório e o depósito ficaram destruídos. Local precisa de reformas para voltar a funcionar


postado em 08/02/2018 16:00 / atualizado em 08/02/2018 16:20

Instituição atende mais de 100 crianças com idades entre 4 meses e 5 anos(foto: Reprodução/Creche Alecrim)
Instituição atende mais de 100 crianças com idades entre 4 meses e 5 anos (foto: Reprodução/Creche Alecrim)

No dia seguinte ao incêndio que destruiu cozinha, refeitório e depósitos, a Creche Alecrim, na Estrutural, não abriu as portas. De acordo com a coordenadora-geral da instituição, Maria de Jesus Pereira de Sousa, os cômodos vão precisar de reparos, e a instituição estará apta a receber as crianças somente em 15 dias.

"Todos estão lamentando. Foi um momento de tensão. Infelizmente, hoje as crianças não puderam entrar na creche. Mas estamos retirando os entulhos", conta. Sem fins lucrativos, a Creche Alecrim funciona por meio de doações e coordenadora-geral pede apoio para as reformas no local. "Qualquer auxílio será bem-vindo. Com certeza vai nos ajudar bastante", diz.


Devido à explosão de um forno, o fogo consumiu a cozinha e se espalhou para o refeitório e alguns depósitos, assustando funcionários e crianças. No momento do incêndio, 86 crianças estavam no local, sendo que 17 são bebês de colo. O Corpo de Bombeiros controlou as chamas e a Polícia Militar fiscalizou o trânsito no local.
 
Chamas começaram na cozinha da creche, que ficou totalmente destruída(foto: Reprodução/Creche Alecrim)
Chamas começaram na cozinha da creche, que ficou totalmente destruída (foto: Reprodução/Creche Alecrim)
 
Maria de Jesus ressalta que o importante é ninguém ter ficado ferido. "Ainda bem que não houve nenhuma lesão nos funcionários ou nas crianças", enfatiza. Segundo ela, os pais e responsáveis dos alunos foram avisados sobre o incidente. Preocupada, a coordenadora-geral lamenta o que aconteceu. "A creche vai estar fechada e não temos o que fazer para ajudar os pais", menciona.

Os Bombeiros liberaram o local por volta das 19h de ontem. Após, funcionários e  voluntários da instituição, bem como da Administração Regional da Estrutural começaram a remover os escombros. A coordenadora-geral ainda não tem previsão dos custos para a reforma. "Não fazemos noção do quanto vamos gastar. Mas estamos percebendo que muitas pessoas estão se mobilizando para nos ajudar", comenta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade