Publicidade

Estado de Minas

Carnaval em Brasília terá sol e chuva, diz Inmet

Previsão é de nebulosidade no sábado e domingo; tempo melhora nos dias seguintes. Foliões e blocos dizem que chuva não deve atrapalhar a festa e prometem animação


postado em 10/02/2018 08:29 / atualizado em 10/02/2018 14:30

No aquecimento para o Carnaval, a chuva não espantou os foliões do bloco Suvaco da Asa(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
No aquecimento para o Carnaval, a chuva não espantou os foliões do bloco Suvaco da Asa (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Foliões de Brasília devem se preparar para levar guarda-chuva, mas também protetor solar para os blocos, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A previsão é de chuva e nebulosidade até domingo (11/2) e de nuvens e sol, com possibilidade de chuva, para a segunda-feira (12/2) e a terça de carnaval (13/2).

Mesmo nos dias chuvosos, os termômetros devem chegar aos 30ºC nos dias de festa, exceto na segunda, quando a temperatura máxima prevista é de 28ºC, de acordo com o Inmet. A orientação para os dias de sol é que se evite a exposição desprotegida, especialmente entre 10h e 16h.

O capitão Ronaldo Reis, do Corpo de Bombeiros, atenta para os riscos de acidentes e pede para que os foliões se preocupem com a hidratação, usem roupas leves e protetor solar, mesmo nos dias nublados, e que façam refeições leves. Para os dias chuvosos, a orientação é se prevenir contra a queda de raios. “Recomendamos para os eventos em local aberto evitar ficar em local ermo, evitar ficar embaixo de árvores, torres, estruturas metálicas, redes de alta tensão e postes de luz.”

Aos banhistas, a orientação é sair da piscina ao perceber queda de raios. “A água conduz energia e pode causar choque em que estiver em contato direto.” Quem souber de acidentes deve procurar o Corpo de Bombeiros no local ou ligar para 193.

Blocos e foliões garantem festa 'até debaixo d'água'"

 
A previsão de chuva durante o carnaval não deve afastar o público, segundo os dirigentes dos blocos e foliões. A expectativa dos organizadores é de movimento igual ou maior do que no ano passado, quando 1,5 milhão foram às ruas da capital.

“Depois que entra na chuva, é pra se molhar. Se começa a festa, o frevo mexe com a gente, não atrapalha, até faz parte do carnaval. Algumas pessoas não se dispõem (a participar), mas no geral as pessoas se divertem”, diz o presidente do bloco Galinho de Brasília, Romildo Carvalho.

“Minha mãe tem 87 anos e tenho um neto de 5, todos vão, mesmo com chuva”, afirma. A estimativa de público é de 100 mil pessoas por dia, segundo ele. O Galinho se apresenta no sábado e na segunda de carnaval.

Para o Carnapati, bloco carnavalesco organizado pela Cia de Teatro Mapati, o público deste ano pode até superar o de 2017, mesmo se o tempo não ajudar. A expectativa é de que 2 mil a 3 mil pessoas participem no sábado e na segunda - no ano passado foram 2 mil. A folia da companhia acontece no estacionamento 4 do Parque da Cidade. “Temos uma estrutura totalmente pronta. Estamos preparados para a festa, que vai ter food trucks, espetáculos de circo, teatro, atividades circenses para as crianças, a abertura com o ‘Peixe Vivo’ e a participação do Philippe Seabra”, afirma a coordenadora-geral do Carnapati, Tereza Padilha.

Pela segunda vez no carnaval de Brasília, o bloco Eduardo & Mônica também estima um público maior em 2018. No ano passado, 8 mil pessoas participaram do evento no Setor de Indústrias Gráficas (Sig). Segundo Rony Meolly, um dos organizadores do grupo, o movimento pode chegar a 15 mil pessoas.

“Teremos mais de 1,5 mil metros quadrados de área coberta. A torcida, logicamente, é para que a chuva não venha tão forte, mas teremos tendas para amenizar esse impacto”, diz Meolly.

Se depender do advogado Henrique de Moraes, a chuva não vai atrapalhar a festa. Ele pretende ir a pelo menos dois blocos, independentemente de chover. No pré-carnaval ele já enfrentou o mau tempo durante o bloco Galo Cego.

“A diversão parte de dentro da gente. O espírito é que dita o ritmo, quem faz a festa somos nós”, declara. Fantasiado, com alegorias e na companhia de amigos, ele quer marcar presença no Santo Pecado, no sábado, e no Eduardo & Mônica, no domingo.

Outra que participou do pré-carnaval debaixo d’água foi a jornalista Flávia Azevedo, para quem o tempo ruim não impede a festa. “Eu fui para o Peleja, só que cheguei debaixo de um temporal lindo. Vi várias pessoas dançando na chuva, mas, puxa, estava frio, e eu estava sequinha dentro do Uber. Então tentei esperar um pouco, fiz o motorista esperar uns 20 minutos e quando percebi que a chuva não daria trégua resolvi encarar.”

A artista plástica Carmen San Thiago comemora os 3 anos da filha, Beatriz San Thiago, com fantasias de carnaval; mãe diz ir a blocos 'até debaixo d'água'.(foto: Arquivo Pessoal)
A artista plástica Carmen San Thiago comemora os 3 anos da filha, Beatriz San Thiago, com fantasias de carnaval; mãe diz ir a blocos 'até debaixo d'água'. (foto: Arquivo Pessoal)
Para a artista plástica Carmen San Thiago, carnaval é tempo de celebrar sempre. Mesmo com a filha pequena, de 3 anos, ela planeja estar em pelo menos dois blocos, “Tesourinha e Aparelhinho, por enquanto. Até debaixo d’água”, diz.

Carmen até comemora o aniversário da filha em ritmo de carnaval. “O aniversário dela foi no dia 2 de fevereiro. E foi um carnaval aqui em casa”, afirma. “Acho até que eu desejei ter uma filha nessa época tão festeira e alegre, onde as diferenças são mais aceitas e as pessoas se permitem ser felizes. Isso é lindo!”

Em viagem

 
Entre sexta-feira (9/2) e a Quarta-Feira de Cinzas (14/2), 73 mil pessoas devem passar pela rodoviária interestadual de Brasília, de acordo com a Socicam, empresa que administra o espaço. A companhia informa que o maior movimento deve ocorrer até o início da tarde de sábado, quando 17 mil vão embarcar pelo terminal.

Segundo a Socicam, os destinos mais procurados pelos moradores do DF são Rio de Janeiro, São Paulo, Goiânia, Caldas Novas, Cocos (BA) e Salvador.

A Inframerica, administradora do Aeroporto de Brasília, estima que 249,4 mil passageiros devem passar pelo terminal no mesmo período. O número representa um aumento de 3,55% no movimento em relação ao mesmo período do ano passado, quando 240.538 pessoas embarcaram pelo local. Para este ano serão 2.110 pousos e decolagens e mais 76 voos extras.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade