Publicidade

Estado de Minas

"Não tem risco algum", diz diretor do DER em vistoria na Ponte do Bragueto

Vistoria teve como objetivo definir os pontos onde sensores serão instalados para monitorar o comportamento da ponte


postado em 10/02/2018 09:11 / atualizado em 10/02/2018 14:39

O novo diretor do DER, Márcio Buzar, retornou a Ponte do Bragueto neste sábado(foto: Ed Alves//CB/D.A Press)
O novo diretor do DER, Márcio Buzar, retornou a Ponte do Bragueto neste sábado (foto: Ed Alves//CB/D.A Press)
 
O novo diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), , Márcio Buzar, garantiu neste sábado (10/2), durante avaliação da Ponte do Bragueto, que a estrutura que liga o Plano Piloto ao Lago Norte e à parte norte do Distrito Federal é segura. "A parte principal está preservada, não tem risco algum", assegurou, enquanto estava no interior da ponte, acompanhado de membros do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do DER. 

Buzar, que é especialista em estruturas prediais, disse que a parte inferior da ponte, que apresenta vários buracos, precisa ser reformada, mas que esses estragos não comprometem a estrutura.  "A vistoria indicou que a estrutura está muito bem", afirmou. "(Esses buracos são causados por) caminhões que não respeitam o gabarito da Ponte e batem na estrutura. Para evitar isso vamos instalar duas barreiras, inclusive com informação sonora, para avisar aos condutores", destacou.

Assista ao vídeo:
 
 

A equipe do DER chegou ao local por volta das 8h55. Duas viaturas, cada uma em um sentido da via, fizeram a segurança do trânsito e permitiram a entrada de Buzar na ponte. Seis bombeiros, que estavam em uma viatura, auxiliaram na inspeção. Técnicos da Universidade de Brasília também foram convocados para a vistoria.
 
A expectativa é que a instalação dos sensores seja concluída hoje. "Vamos instalar esses equipamentos que vão acompanhar todo deslocamento e aceleração da Ponte", afirmou. Equipes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e do DER serão responsáveis pelo monitoramento das imagens.
 
Na quinta-feira (8/2), o Correio levou o professor de engenharia civil do Iesb Vamberto Machado para a Ponte do Bragueto. Especialista em patologia das construções, ele alertou para o perigo dos pedaços de concreto pendurados apenas por barras de aço. “Olhando por dentro, encontram-se pontos de corrosão do ferro da armadura. Isso é preocupante”, comentou o especialista. 
 
Ver galeria . 4 Fotos Ed Alves/Cb/DA Press
(foto: Ed Alves/Cb/DA Press )

 

Futuro da ponte 

 
Os sensores que serão instalados são semelhantes aos que foram colocados na Ponte JK há algum tempo. Além deles e da instalação de barreiras, o diretor do DER ressaltou que vão construir duas vias marginais do Trevo de Triagem Norte para fazer a obra do Bragueto.  
 
A análise detalhada acontece cinco dias depois da queda de parte do viaduto do Eixão Sul. Com buracos embaixo da estrutura da Ponte do Bragueto, rachaduras e devido ao tempo de construção, a obra preocupa o governo depois do episódio de desmoronamento. Essa é uma das obras que aparece na lista de 2011 do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) que exigia reparo urgente.

Para evitar novos sustos, o Executivo local anunciou que vai adiantar a obra da ponte que estava programada para dentro do pacote do Trevo de Triagem Norte, avaliado em R$ 207 milhões. A promessa do DER-DF é que os trabalhos comecem em até uma semana, mas ainda não está definida se a estrutura será reformada ou demolida para nova construção.
 
Em visita técnica na sexta-feira à estrutura, Buzar explicou que seriam realizadas quatro ações na ponte.  "Instalaremos uma barreira física, para evitar que os veículos altos danifiquem a ponte. Também recuperaremos os blocos de concreto, aumentaremos os pontos de medição e deslocamento e daremos prioridade para a construção das pontes laterais", garantiu.

A Ponte do Bragueto é a única sobre a parte norte do Lago Paranoá e foi inaugurada em 1961. Recebe uma média de 80 mil veículos por dia, servindo de ligação entre a Asa Norte e o Lago Norte. Por baixo dela, passam diariamente cerca de 100 mil veículos.

Medo de um novo acidente 


A queda de parte do viaduto do Eixão Sul resultou em manifestação do público. Durante a vistoria do diretor geral do DER-DF na Ponte do Bragueto motoristas buzinavam e gritavam. As palavras mais comuns eram "vai cair". Pela internet, mais de 3,4 mil pessoas assinaram uma petição pedindo a reforma da estrutura. A campanha teve início na noite da terça-feira (6/2). 
 
Buracos no acabamento da ponte foram causados por colisões com veículos de altura superior ao limite permitido (4 metros) (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Buracos no acabamento da ponte foram causados por colisões com veículos de altura superior ao limite permitido (4 metros) (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
 

O diretor do DER-DF, Márcio Buzar, estava acompanhado de quatro outros técnicos da área. Eles fizeram observações na Ponte que está com o teto esburacado. Um motorista passou e, ao perceber a movimentação, gritou: "Pode tirar foto que essa merda vai cair", manifestou.

Um grupo de pedal que também passava embaixo do viaduto na hora em que o diretor estava analisando a estrutura se manifestou: "Vai cair, vai cair." Outro motorista passou, reduziu a velocidade e perguntou a imprensa que estava no área: "Vai cair? Será que vai cair?", questionou de bom humor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade