Pesquisadores desenvolvem sensor que identifica presença de pesticidas

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e promete facilitar, com um aparelho portátil, o processo de identificação de agrotóxicos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/05/2013 06:40 / atualizado em 28/05/2013 09:08

Em um futuro próximo, será possível identificar se água, solo ou alimentos estão contaminados por pesticidas em minutos e de qualquer local. Pesquisadores brasileiros desenvolveram e construíram um biossensor capaz de detectar a presença do inseticida metamidofós em diferentes materiais. O estudo é uma parceria entre o Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (IFSC-USP) e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e promete facilitar, com um aparelho portátil, o processo de identificação de agrotóxicos.

Leia mais notícias em Ciência e Saúde

O desejo de criar o biossensor surgiu dos altos índices de uso de defensivos agrícolas nas lavouras de Mato Grosso, de acordo com a pesquisadora e doutoranda do IFSC Izabela Gutierrez de Arruda, uma das responsáveis pelo projeto. “A motivação maior veio do fato de a produção de grãos no estado ser muito forte e, consequentemente, o uso dos pesticidas também”, conta. A ideia de criar o protótipo do sensor se consolidou em 2010, durante um congresso promovido pelo Instituto Nacional de Eletrônica Orgânica (Ineo). À época, cursando o mestrado na UFMT, Arruda foi convidada para fazer a pesquisa em parceria com o IFSC.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.