Descoberta aponta que marte teve água em ebulição

Análises realizadas com instrumentos enviados a Marte constataram uma atmosfera equivalente a apenas uma fração da camada que envolve a Terra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/05/2016 06:00

Uma das primeiras evidências que apontavam para a possibilidade da existência passada de água em Marte são as marcas encontradas no solo do Planeta Vermelho. Imagens registradas por sondas mostram que a superfície marciana é cortada por depressões que parecem ser as “pegadas” deixadas pelo líquido em outras eras, quando o vizinho da Terra era mais úmido e habitável. Uma nova pesquisa, publicada na revista Nature Geoscience, sugere que algumas dessas marcas foram formadas por água em ebulição, fenômeno causado pela perda de atmosfera.

Análises realizadas com instrumentos enviados a Marte constataram uma atmosfera equivalente a apenas uma fração da camada que envolve a Terra. Astrônomos acreditam que o material teria sido destruído ao longo de anos pela radiação solar. Uma das maiores mudanças causadas pela baixa pressão atmosférica teria sido sobre a água, que teria ficado instável.

Para compreender melhor como esse ambiente afetaria a água líquida, pesquisadores da França e dos Estados Unidos conduziram uma série de experimentos em uma câmara que simula o ambiente marciano. Os cientistas colocaram um bloco de gelo sobre um monte de areia e observaram como a água derretida percorreria o material. Em condições como as da Terra, o líquido descia a areia livremente. No entanto, quando a câmara foi ajustada para os parâmetros da pressão do ar de Marte, a água passou a evaporar assim que derretia, causando pequenos acúmulos na posição dos grãos de areia, que depois se desmanchavam.

Os canais deixados pelo líquido, observaram os pesquisadores, eram bastante semelhantes aos já vistos na superfície marciana. “Propomos que o mecanismo híbrido de fluxo operado nos nossos experimentos poderia explicar as mudanças observadas na superfície marciana”, defendem os pesquisadores.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.