Xô dieta: ações radicais são ineficazes, a médio prazo, para perder peso

Em um estudo americano, por exemplo, os participantes de um programa de emagrecimento recuperaram 97% do peso inicial em menos de cinco anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/05/2016 08:10 / atualizado em 15/05/2016 13:35



Os exames de colesterol e triglicérides estão alarmantes, o botão da blusa abre sozinho, o jeans parece que vai explodir e os ponteiros da balança sobem a cada semana. Seja por um motivo ou outro — ou por todos juntos —, uma hora o alarme dispara e todos os caminhos apontam para a uma única saída: fechar a boca. As bancas de revista estão cheias de publicações que prometem resolver o problema rapidamente, assim como as estantes das livrarias e os incontáveis sites ditos de boa forma. Mas as semanas passam e a gordura derretida se recompõe à primeira escapada.

“Entre 80% e 90% das pessoas que emagreceram vão reganhar todo o peso perdido”, afirma a endocrinologista Cintia Cercato, presidente da Associação Brasileira do Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). Essa é uma frustração vivenciada por praticamente todos os que já tentaram se livrar dos quilos a mais. Paradoxalmente, ao mesmo tempo em que as publicações e ferramentas para ajudar a emagrecer são incontáveis, o mundo jamais esteve tão gordo. Nas projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), daqui a menos de 10 anos, haverá 2,3 bilhões de adulto com sobrepeso e mais de 700 milhões de obesos. No Brasil, dados do Ministério da Saúde indicam que 50% da população já ultrapassou o limite do índice de massa corporal ideal.

O fenômeno chama, como nunca, a atenção de especialistas, que estão concluindo algo que os fazedores de dieta de carteirinha sabem pela prática, há muitos anos: regime para emagrecer não funciona. Uma meta-análise conduzida pela Universidade de Kentuchky constatou, por exemplo, que após 4,5 anos da conclusão de um programa estruturado de emagrecimento, que incluía dieta hipocalórica com ou sem exercício, os participantes só conseguiram manter 3% do peso total perdido. Outra pesquisa, feita por pesquisadores da Universidade do Colorado com 228 americanos com sobrepeso detectou que, após perderem ao menos 10% do peso inicial, apenas 20,6% mantiveram o emagrecimento em um ano.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.