Estudo propõe a cura da otite com apenas uma gota de antibiótico

Cientistas dos Estados Unidos trabalham em uma solução que tem condições de revolucionar esse tratamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/09/2016 07:30

Valdo Virgo/CB/DA Press

Na primeira infância, é quase impossível não passar por ela. Estimativas indicam que 90% das crianças com até 7 anos de idade foram acometidas pelo menos uma vez na vida pela otite média, e que 75% terão sofrido ao menos três episódios. Dificulta ainda mais a situação a forma como se dá a intervenção usual contra essa infecção do ouvido: ingestão de antibióticos por, em média, 10 dias, geralmente a cada oito horas. Cientistas dos Estados Unidos trabalham em uma solução que tem condições de revolucionar esse tratamento. A proposta, detalhada na edição de hoje da revista Science Translational Medicine, é aplicar apenas uma gota de medicamento no ouvido do paciente e pôr fim à complicação.

“Colocar o antibiótico na boca de uma criança é como uma arte marcial”, brincou Daniel Kohane, investigador sênior do estudo e diretor do Laboratório de Biomateriais e Entrega de Drogas do Hospital Infantil de Boston. “Com o gel que criamos, o pediatra pode administrar todo o medicamento de uma só vez e apenas quando for necessário”, completou Rong Yang, que trabalha com Kohane e é o primeiro autor do estudo. A solução proposta tem em sua composição a ciprofloxacina, substância antibiótica usada também para tratar pneumonia, sinusite e infecção urinária, mas, em formato usual, não indicada para crianças.

Leia mais notícias em Política

O gel foi testado em 10 chinchilas, roedores que têm uma estrutura de audição e do ouvido semelhante à dos humanos. Os animais estavam contaminados pela bactéria Haemophilus influenzae, causadora frequente da otite média em meninos e meninas — a infecção também pode ser provocada por vírus. Mesmo com baixa concentração do antibiótico, o gel curou 100% das cobaias. Gotas da mesma substância aplicadas de forma tradicional durante sete dias em oito chinchilas eliminaram o problema em cinco delas, ou seja, tiveram uma eficácia de 62,5%.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.