Namíbia e Zimbábue estão proibidos de vender reservas de marfim

A proposta foi submetida nesta segunda-feira a uma votação dos 182 membros da CITES, além da União Europeia (UE), que já havia anunciado o apoio à norma

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/10/2016 06:57

Joanesburgo, África do Sul - A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Selvagens em Perigo (CITES), reunida em Johannesburgo, votou contra as propostas da Namíbia e do Zimbábue de vender suas reservas de marfim de elefante no exterior. A CITES "votou contra a proposta da Namíbia e do Zimbábue de autorizar o comércio internacional de seus #elefantes", informou a organização em uma mensagem no Twitter, uma decisão que foi comemorada pelas organizações de defesa dos animais.

A proteção dos paquidermes, caçados pelos traficantes por suas presas de marfim, é um dos principais objetivos da reunião da CITES. O comércio internacional de marfim está oficialmente proibido desde 1989.

Mas Namíbia e Zimbábue - com populações de paquidermes menos dizimadas que as dos países vizinhos - apresentaram uma proposta de autorização de venda de suas reservas de marfim confiscadas, ou procedentes de elefantes mortos de maneira natural. O objetivo anunciado era obter meios para financiar os programas de proteção.

A proposta foi submetida nesta segunda-feira a uma votação dos 182 membros da CITES, além da União Europeia (UE), que já havia anunciado o apoio à manutenção da proibição internacional do comércio de marfim.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.